Elisa Lucinda: Coisa de branco, até quando?
nov13

Elisa Lucinda: Coisa de branco, até quando?

Escroto, consciente, ativo, legitimado, estrutural, septicêmico em todos os órgãos da nação, o racismo de William Waack não é só dele. Essa é a pior notícia. “Coisa de preto” é subtexto corrente na mente de grande parte de uma sociedade criada sob os parâmetros da Casa Grande. Por Elisa Lucinda O diabólico plano que começou com tráfico, tortura e assassinato do povo negro e que durou quatrocentos anos, é mais nefasto e homicida do que...

Leia mais
150 anos: obra “O capital” ainda traz luzes para o presente e o futuro
set21

150 anos: obra “O capital” ainda traz luzes para o presente e o futuro

Ao completar 150 anos, o livro “O Capital”, de Karl Marx, parece mais atual do que nunca. É neste contexto de dificuldade no plano mundial, e de um Brasil que vive uma de suas piores crises econômicas e política, que se insere o seminário “O Capital 150 anos”, realizado em Porto Alegre. Por Clomar Porto para o Portal Vermelho Iniciado nesta segunda-feira (18), prosseguirá nos dias 21, 25 e 27 de setembro,...

Leia mais
Carlos Drummond de Andrade, da província para o vasto mundo
ago18

Carlos Drummond de Andrade, da província para o vasto mundo

Três décadas após a morte de Carlos Drummond de Andrade, a relação conflituosa do poeta com Belo Horizonte e a influência da jovem capital mineira na construção da sua obra ainda instigam pesquisadores. O calendário data o ano de 1929. Belo Horizonte, a cidade símbolo da República brasileira, ganha um novo elemento: o viaduto Santa Tereza passa a integrar a paisagem urbana da capital de Minas Gerais. No cotidiano descer a rua da...

Leia mais
Aldo Rebelo: Capistrano de Abreu
ago14

Aldo Rebelo: Capistrano de Abreu

A moderna historiografia brasileira nasce com a obra e a trajetória do cearense João Capistrano Honório de Abreu e seu livro Capítulos de História Colonial (1500-1800), publicado em 1907. Capistrano e sua atividade de historiador impõem-se até hoje como referência obrigatória para quem se aventura, por interesse ou paixão, no universo da história do Brasil.   Capistrano teve precursores; comerciantes, viajantes ou amadores que...

Leia mais
Da forma ao abstrato: a marca profunda do Expressionismo
jul16

Da forma ao abstrato: a marca profunda do Expressionismo

Será lançado um livro com todas as obras de Egon Schiele catalogadas. Dificilmente não se é marcado por uma obra de Schiele: sua pintura de traços fortes apresenta corpos retorcidos e extremamente expressivos, transparecendo olhares e gestos angustiados. Por Alessandra Monterastelli O pintor retrata homens e mulheres nus, conseguindo captar sua sexualidade; personagens andróginos, corpos esguios, machucados e carregados de dor e...

Leia mais