PRÊMIO DESTERRO – 13° FESTIVAL DE DANÇA DE FLORIANÓPOLIS

 

Evento reunirá mais de 1.500 bailarinos do Brasil e do Paraguai,

entre 17 e 25 de fevereiro, no Centro Integrado de Cultura

 

 

     O Prêmio Desterro – 13° Festival de Dança de Florianópolis será realizado de 17 a 25 de fevereiro, no Centro Integrado de Cultura (CIC), com a participação prevista de 1.507 bailarinos do Distrito Federal, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Roraima, Santa Catarina, São Paulo e Paraguai.

 

     Pertencentes a 129 academias, escolas, grupos e companhias, eles apresentarão no Teatro Ademir Rosa 637 coreografias – entre balé clássico de repertório, balé neoclássico, dança contemporânea, danças populares, danças urbanas, estilo livre, jazz e sapateado – criadas, repostas ou adaptadas por 280 coreógrafos.

 

     Do total, 496 trabalhos concorrerão às premiações da Mostra Competitiva em 14 sessões. Outros 141 serão exibidos em dois horários específicos na Cena Comentada, mostra paralela sem avaliação de jurados, mas com análise de um profissional convidado.

 

    A competição também irá para fora do teatro, com a Batalha de Danças Urbanas, que volta à programação do evento, após dois anos, no último dia do festival, ocupando o Espaço Lindolf Bell.

 

     A soma de todas os prêmios em dinheiro possíveis chega a R$ 39.400, o maior valor de sua história. Além disso, os bailarinos poderão ser contemplados com brindes, bolsas de estudo, inscrições, intercâmbios, vivências e cursos em instituições e eventos parceiros no Brasil, Alemanha, Canadá e Peru.

 

     A agenda, a mais extensa de todas as edições do festival, inclui também uma oficina especial no Teatro Ademir Rosa e 35 workshops no Espaço Lindolf Bell, ministrados por 18 profissionais do Brasil, Alemanha, Canadá e Estados Unidos.

 

   O Prêmio Desterro 2024 tem apoio da Cassol, Dominik Metal Center, Havan e Schulz Compressores, por meio do Programa de Incentivo à Cultura de Santa Catarina (PIC)/Fundação Catarinense de Cultura; Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), Celesc, Quantum Engenharia e Grupo Koch, sob os benefícios da Lei Federal de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet)/Ministério da Cultura; CSC Engenharia, Fecoagro e Jomani Corretora de Seguros, por intermédio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura/Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes.

Compartilhar:

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


doze + dois =