Morre o compositor Homero Réboli aos 69 anos

O cenário das artes e do samba da capital paranaense está de luto. O arquiteto e compositor Homero Réboli, morreu nesta quarta-feira (06), aos 69 anos. Ele estava internado no Hospital São Lucas, em Curitiba, em decorrência de uma parada cardíaca.

Autor de mais de 40 sambas de enredo para escolas de Curitiba, Antonina e Paranaguá, Homero entrou definitivamente para a história do samba paranaense com Cláudio Ribeiro ao vencer o concurso da Ala de Compositores da Mangueira, em 1977, com “Não vou subir” – samba entre os nossos preferidos, que tanto gostamos de cantar em coro em nossas rodas, naquela batucada pra frente. O samba foi defendido pelo Partido Alto Colorado, comandado pelo mestre Maé da Cuíca e seus batuqueiros, e avaliado por Cartola, Carlos Cachaça e a nata mangueirense.

Aprovado com louvor, superou no concurso o samba “Lama”, do badalado Mauro Duarte. Homero e Claudio também têm a glória de ter uma parceria com o mestre Cartola, “Um perdão para mim”, e com o genial Claudionor Cruz em outras canetadas. Também assina com Claudio a autoria do Hino Oficial do Coritiba Football Club.

O corpo do músico deve ser velado no Cemitério  Parque Iguaçu a partir das 7h e o enterro será às 16h.

 

.

Compartilhar:

1 Comentário

  1. Sem dúvida uma perda imensa para o cenário musical brasileiro. Em meio a tantos talentos
    recebidos de Deus, sobressaem a espiritualidade, a sensibilidade e o grande talento. Adeus, meu amigo. Que Deus abençoe sua caminhada nessa nova estrada.

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


três × cinco =