Lançamento do livro “CRUZ MACHADO – Lenda virou história”

O jornalista e historiador Ulisses Iarochinski lançou mundialmente, neste sábado, na maior livraria online do mundo – a Amazon.com – seu livro em formato E-book. O livro de tem 261 páginas conta a história da maior colônia de imigrantes polacos do Brasil – Cruz Machado – localizada a 40 km de União da Vitória.

 

Resultado de cinco anos de pesquisas na Polônia e no Brasil, a obra ao mesmo tempo desmiStifica e desMitifica a oralidade histórica de pessoas reais e descendentes que transformaram em lenda uma história que não teve nada de trágica.

 

Iarochinski declara que levou 13 anos para publicar a obra. Depois de várias tentativas de publicar em papel através de patrocínio, editoras, apoios institucionais, leis de incentivo rendeu-se e acabou por lançar o livro não-impresso no formato online. “Teve que ser via E-book. Não porque não quis lançar em papel, mas porque nunca houve dinheiro para tal”.

 

Cruz Machado, hoje, município no Sul do Estado do Paraná, foi criado como colônia de emigrantes polacos, rutenos e alemães, em 19 de dezembro de 1910. Já nos dois anos seguintes recebeu 5.500 imigrantes. E foi aí que uma trágica lenda começou a ser contada. Mas Iarochinski ao ganhar uma bolsa de estudos do governo da Polônia, foi para Cracóvia para escrever uma tese sobre a maior tragédia ocorrida entre os fluxos imigratórios do Brasil.

 

Surpresas e contradições foram surgindo ao longo das pesquisas e das contraposições de informações. De um lado, o depoimento de pessoas ao redor do centenário de idade, e de outro lado, documentos primários, publicações oficiais, jornais da época, e relatos de viajantes polacos desmintindo e desqualilificando a oralidade dos envolvidos na tal “tragédia”.

 

Ulisses Iarochinski

 

Iarochinski afirma que teóricos da historicidade argumentam que existe ligação entre memória e

Ulisses Iarochinski

identidade. Que ambas se conjugam e se apoiam para produzir uma narrativa ou uma história – um mito. “A memória individual é um fragmento da memória coletiva, onde membros de um grupo produzem a respeito de uma memória comum. Fontes orais nos contam não apenas o que o povo fez, mas o que queria fazer, o que acreditava estar fazendo e o que agora pensa que fez. A história oral, trabalha com lembranças. Enquanto a memória é vida, gestada por grupos vivos, em permanente evolução; a história é uma reconstrução incompleta e problemática do passado.”

 

Para Iarochinski “se a memória é afetiva e mágica; a história é uma operação intelectual. Exatamente como a memória, a ciência história pode remontar o passado e foi isto que aconteceu em Cruz Machado. A oralidade tomou conta da história e a subverteu criando uma lenda fantástica e trágica para explicar as dificuldades de seu início. Ao ignorar, omitir e confundir a história real da colônia Cruz Machado oficializaram a lenda em detrimento dos fatos, registros e documentos”.

 

“CRUZ MACHADO – Lenda virou história” Está disponível para venda na Amazon.com no endereço https://www.amazon.com.br/dp/B07P197Y34, no valor de R$ 22,54 (vinte e dois reais e cinquenta e quatro centavos) preço Kindleunlimited.

Compartilhar:

1 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


onze − quatro =