A história por trás de doces típicos do Brasil

Algumas histórias que podemos aprender ao buscar as origens de doces que hoje consideramos tipicamente brasileiros.

Bolo de rolo

Essa iguaria pernambucana é uma variação do colchão de noiva, um pão de ló português recheado com amêndoas. Como não havia essas castanhas no Nordeste durante o período colonial, os portugueses decidiram rechear o bolo com doce de goiaba, abundante na Zona da Mata, e adoçar com açúcar dos engenhos de cana. A receita fez tanto sucesso que em 2008 o bolo de rolo foi reconhecido como patrimônio imaterial de Pernambuco.

 

Ambrosia

Uma sobremesa popular em Minas Gerais e no Rio Grande do Sul, é uma mistura de leite, ovos e açúcar que também foi trazida pelos portugueses. Como Portugal era um dos maiores produtores de ovos da Europa nos séculos 18 e 19, esse ingrediente figura em diversas receitas de doce de lá. A versão brasileira é bem doce, devido à imensa quantidade de açúcar disponível por aqui.

 

Cocada

A origem desse doce baiano não é das mais felizes: conta-se que negras angolanas escravizadas produziam o doce para os senhores de engenho, usando dois ingredientes bem mais abundantes na Bahia: o açúcar e o coco.

 

Bolo Souza Leão

Esse doce pernambucano que tem massa de mandioca, leite de coco, açúcar, manteiga e ovos foi criado há mais de 150 anos pela família Souza Leão, dona de enormes engenhos. O bolo tinha, por isso, uma aura aristocrática, e só era servido em ocasiões especiais. Nessa sobremesa, o toque nordestino fica por conta da mandioca.

 

Rapadura

Não se sabe ao certo onde ela foi criada, mas a história diz que esse doce foi inventado para facilitar o transporte do melaço de cana do Brasil a Portugal. Em forma de tijolos, ela também seria melhor conservada durante a travessia do mar.

 

Bolo de arroz

Esse bolo que combina arroz, mandioca, coco e erva doce é tão popular em Cuiabá que em 2017 foi declarado prato típico do Mato Grosso. Ele foi criado a partir da abundância das plantações de arroz do Centro-Oeste, e até hoje está na mesa de quem vive na região.

 

Sagu

Sua receita tem origem na Serra Gaúcha, e é uma mistura de culturas, preparada a muitas mãos por italianos e alemães com vinho e mandioca. Os descendentes de alemães desenvolveram o processo de transformar mandioca em bolinhas, e a receita foi aprimorada pelos italianos, tudo a partir das comidas tradicionais dos indígenas brasileiros.

 

Bolo de macaxeira

Na falta de trigo, os nordestinos resolveram usar a macaxeira (ou mandioca ou aipim) para fazer esse bolo –que foi um dos doces servidos à família real no século 19.

 

Baba de moça

Outra sobremesa de origem portuguesa, foi criada a partir da receita de ovos moles de Aveiro. Ao fazer a receita aqui, os portugueses acrescentaram o leite de coco, abundante no Nordeste. Servida apenas em ocasiões especiais, a baba de moça era o doce preferido da princesa Isabel.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


19 − 2 =