Datas Comemorativas 2

 

 

 

Datas Comemorativas são dias especiais do ano (alguns considerados feriados) usados para lembrar acontecimentos importantes, passagens religiosas ou marcos na história do Brasil e do mundo. Abaixo, estão listados as datas comemorativas mais importantes. Para não desmerecer nenhuma religião, não incluimos datas religiosas.

 

Dia Internacional da Mulher

8 de março – Em 8 de março de 1857, 129 operárias de uma fábrica têxtil de Nova York entram em greve. Reivindicam salário igual ao dos homens e redução da jornada de trabalho, que chega a 16 horas diárias. Os patrões trancam as operárias e incendeiam a fábrica. Todas as grevistas morrem queimadas. Em 1910, o 1º Congresso Internacional das Mulheres, na Dinamarca, escolhe o 8 de março como Dia da Mulher. Operárias em greve já não são queimadas e a mulher conquista, às vezes lentamente, parte dos direitos pelos quais luta há mais de um século. No Brasil, o direito ao voto só é reconhecido na Constituição de 1934. A primeira governadora é eleita 60 anos depois.

Dia Mundial da Saúde

7 de abril – Escolhido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para lembrar a luta por melhores condições de vida. Não é bem uma data comemorativa. É uma data para pensar. Perto de 25 milhões de pessoas (15,4% da população) sofrem de desnutrição crônica no Brasil. De cada mil crianças nascidas vivas, 54 morrem antes de completar 1 ano. Mas não é só a fome e as doenças provocadas por ela que matam o brasileiro. Entre as principais causas de mortalidade estão as doenças circulatórias, o câncer, os homicídios, acidentes do trabalho e de trânsito.

Dia do Índio

19 de abril – Urubu, sabiá, carioca, mandioca, abacaxi. Muitas palavras como estas, usadas no dia-a-dia, vêm do tupi, uma das línguas mais faladas pelos índios que habitavam o Brasil quando os portugueses chegaram aqui. Eram aproximadamente 3 milhões de nativos. Hoje, segundo a Funai, restam pouco mais de 260 mil, distribuídos em 128 reservas. Sua influência está presente não só na língua, mas em muitos outros aspectos da cultura brasileira. Poucos índios, no entanto, mantêm sua própria cultura. Continuam sendo dizimados pela mesma razão de sempre: a posse da terra. O dia 19 de abril é um alerta em favor do respeito e da preservação dos povos indígenas.

 Dia de Tiradentes

21 de abril – Tiradentes não é barbudo nem cabeludo, como mostram as representações conhecidas do maior personagem da Inconfidência Mineira. É o que dizem algumas pesquisas históricas nos Autos da Devassa, divulgadas em 1992. Essa figura meio parecida com a de Jesus Cristo teria sido criada pelos pintores para reforçar a imagem de herói. Historiadores dizem também que o alferes Joaquim José da Silva Xavier é um idealista ingênuo, manipulado pela elite que articula o movimento. A elite toda, aliás, escapa da forca. De todos os condenados, só Tiradentes é executado, em 21 de abril de 1792.

 Descobrimento do Brasil

22 de abril – Entre os homens que acompanham Cabral, há alguns condenados e degredados. Há também comerciantes, artesãos, religiosos, soldados, representantes da nobreza e até um banqueiro de Florença. São ao todo 1.500 pessoas (quase 3% da população de Lisboa). Viajam em dez naus e três caravelas, seguindo plano traçado por Bartolomeu Dias, um dos mais experientes navegadores da época. É a maior e mais bem equipada frota a zarpar dos portos ibéricos até então. O objetivo seria chegar às Índias e teria sido frustrado por um desvio de rota. Historiadores, no entanto, comprovam: o Brasil, descoberto em 22 de abril de 1500, já estava no roteiro dos portugueses.

 

 Dia do Trabalho

1º de maio – A revolução industrial, a partir de meados do século XVIII, modifica as relações de produção e impulsiona o desenvolvimento do capitalismo. No século XIX, intensifica-se a luta por melhores condições de trabalho e de vida. Trabalhadores fazem greves e são reprimidos, às vezes violentamente. Em um desses movimentos, na cidade de Chicago, EUA, 30 mil pessoas abandonam as fábricas no dia 1º de maio de 1886 e se concentram na Haymarket Square. Reivindicam uma jornada de oito horas de trabalho por dia. A polícia atira: quatro trabalhadores morrem, vários são feridos. Em homenagem às vítimas, o Congresso Socialista, realizado em Paris em 1889, escolhe o 1º de maio como Dia Internacional do Trabalho.

Abolição da Escravatura

13 de maio – A escravatura já está abolida, de fato, muito antes da assinatura da Lei Áurea em 13 de maio de 1888, data em que se comemora a libertação dos negros. Em 1810, dom João VI promete à Inglaterra acabar com o comércio de escravos. Em 1850, o tráfico negreiro é extinto pela Lei Eusébio de Queirós. Alguns anos depois são promulgadas a Lei do Ventre Livre e a Lei dos Sexagenários. A abolição, no entanto, não significa grande mudança para os escravos. Eles continuam marginalizados na sociedade

Revolução Constitucionalista

9 de julho – Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo, estudantes paulistas, morrem em choque com forças do governo federal no dia 23 de maio de 1932. As iniciais de seus nomes passam a compor a sigla da Revolução Constitucionalista, que explode em 9 de julho: MMDC. O movimento é liderado pelas oligarquias de São Paulo, afastadas do poder central pela Revolução de 30. Os paulistas são derrotados no combate armado, mas atingem seu objetivo: a convocação de eleições para a Assembléia Constituinte que, em 1934, promulga nova Constituição

Dia do Soldado

25 de agosto – O Dia do Soldado é instituído em homenagem a Luís Alves de Lima e Silva, patrono do Exército brasileiro, nascido em 25 de agosto de 1803. Com pouco mais de 20 anos já é capitão e, aos 40, marechal-de-campo. Entra na História como “o pacificador” e sufoca muitas rebeliões contra o Império. Comanda as forças brasileiras na Guerra do Paraguai, vencida pela aliança Brasil-Argentina-Uruguai em janeiro de 1869, com um saldo de mais de 1 milhão de paraguaios mortos (cerca de 80% da população). Depois da guerra, Lima e Silva é elevado à condição de duque de Caxias — o mais alto título de nobreza concedido pelo imperador.

 Independência

7 de setembro – A abertura dos portos em 1808, logo depois da chegada de d. João VI, é o primeiro passo para a independência do Brasil. Ela marca o rompimento definitivo do monopólio mercantil do sistema colonial. O comércio sofre intensas modificações. Chegam ao país produtos estrangeiros, principalmente ingleses. E em 1815 o Brasil é elevado à condição de Reino Unido. A ruptura oficial acontece em 7 de setembro de 1822 com a proclamação de d. Pedro I. As províncias não aceitam imediatamente a decisão. A do Maranhão leva mais de dez meses (28/7/1823) para reconhecer a independência.

 Dia da Árvore

21 de setembro – Em uma das primeiras celebrações às árvores, na cidadezinha mineira de Dores do Indaiá, o orador, um menino de 13 anos, diz: “A derrubada delas é uma ameaça à própria civilização”. Isso foi em 1904. Um século depois muita gente, em todo o mundo, ainda não entende as palavras desse menino. Só de 1981 a 1990 são destruídos 154 milhões de hectares de florestas tropicais no mundo — área equivalente a 30% da Amazônia. A Mata Atlântica, que já cobriu 82% do território paulista, hoje não passa dos 5%.

 Descobrimento da América

12 de outubro – O genovês Cristóvão Colombo morre em 1506, com 55 anos, sem saber que tinha descoberto a América. Pensou que chegara às Índias, destino traçado de sua expedição, que parte do porto de Palos, Andaluzia, e desembarca na ilha Guanahani (São Salvador), em 12 de outubro de 1492. Em 1483, os portugueses recusaram seu plano de chegar ao Oriente navegando em direção ao Ocidente. Já tinham escolhido contornar a costa oeste da África. Em 1487, o português Bartolomeu Dias comprovara que isso era possível ao dobrar o Cabo da Boa Esperança e atingir o oceano Índico. Colombo viaja então com o financiamento da Coroa espanhola. Na volta, é aclamado “almirante do mar oceano

Proclamação da República

15 de novembro – Não é só durante o regime militar, de 1964 a 1985, que os militares conduzem as decisões de poder no país. Eles têm participação ativa, em diferentes graus, durante todo o período republicano. A própria proclamação da Repúblicaé uma ação militar. Muitos oficiais do Exército acreditam ter uma missão salvadora. Estão influenciados pelas idéias positivistas: conciliar ordem e progresso, mesmo que para isso seja preciso usar a violência. É o que acabam fazendo em 15 de novembro de 1889

 

 

 

 

Author: Redação

Share This Post On