“Refrigerante gengibirra é tombado como patrimônio cultural imaterial

"A gengibirra foi criada há mais de 80 anos, era servida originalmente na casa da família de imigrantes italianos. Foto: Letícia Akemi/Gazeta do Povo." Leia mais em: https://www.gazetadopovo.com.br/bomgourmet/gengibirra-tombada-patrimonio-cultural-imaterial-de-palmeira/ Copyright © 2019, Gazeta do Povo. Todos os direitos reservados.
“A gengibirra foi criada há mais de 80 anos, era servida originalmente na casa da família de imigrantes italianos. Foto: Letícia Akemi/Gazeta do Povo.”
Leia mais em: https://www.gazetadopovo.com.br/bomgourmet/gengibirra-tombada-patrimonio-cultural-imaterial-de-palmeira/
Copyright © 2019, Gazeta do Povo. Todos os direitos reservados.

Com mais de 80 anos de criação, tradicional refrigerante de gengibre é reconhecido como patrimônio da cidade paranaense de Palmeira

“O tradicional refrigerante gengibirra agora é um patrimônio cultural imaterial da cidade de Palmeira, nos Campos Gerais do Paraná. A bebida à base de gengibre foi criada há mais de 80 anos por uma família de imigrantes italianos, e até hoje é produzida praticamente com a mesma receita. O decreto de tombamento foi aprovado pela Câmara Municipal no dia 4 de abril.

por Guilherme Grandi ”

A gengibirra foi criada há mais de 80 anos, era servida originalmente na casa da família de imigrantes italianos.

O processo de tombamento começou em meados do ano passado quando a família dona da fábrica da gengibirra procurou a prefeitura de Palmeira, para que a receita fosse reconhecida como patrimônio. É na cidade dos Campos Gerais que a bebida foi criada pelo imigrante italiano anarquista Egizio Cini, integrante da Colônia Cecília.

 

Membro da quarta geração da família, Nilo Cini conta que a receita da bebida praticamente não mudou desde que foi criada há mais de 80 anos. Egizio costumava produzir a gengibirra em casa para beber com a família e os amigos nos fins de semana.

 

“A bebida leva mais de um ano para poder ser consumida, por conta do demorado processo de produção desde a colheita do gengibre até a bebida ser engarrafada. Há uma sazonalidade da planta a respeitar. Após ser colhido, o gengibre passa por um longo processo para extração do gengirol, a substância que dá o sabor à bebida”, revelou Orlando Cini. Ele e Nilo são netos de Egizio e tocam a fábrica da Cini em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba.”

FONTE

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


dezessete − 15 =