Aniversário de Alceu Valença

 

Alceu Valença (1946) é um cantor, compositor e cineasta brasileiro. Surgiu como expoente da geração da música nordestina nos anos 70 e foi um dos primeiros a promover a união do som do agreste nordestino com a guitarra elétrica.

Alceu Paiva Valença nasceu na cidade de São Bento do Uma, localizada no Agreste Central de Pernambuco, no dia 01 de julho de 1946. Filho de Décio e Adelma Valença cresceu no meio de uma família musical.

Seu avô, Orestes Alves Valença era poeta e violeiro, seu tio Geraldo Valença era poeta e escritor. O piano e o bandolim estavam sempre presentes nos saraus organizados pela família.

Seu pai foi prefeito de São Bento do Uma, deputado da Constituinte de 1946, promotor público e procurador de Estado.

Com cinco anos de idade, Alceu participou de um concurso infantil no Cine Teatro Rex, onde cantou o frevo de Capiba, É Frevo, Meu Bem, que foi classificado em segundo lugar.

Alceu conta que ficou deslumbrado e sem saber o que fazer, começou a dar cambalhotas, levando a plateia a rir e aplaudi-lo. Sentiu que aquele lugar era o seu.

Em meados dos anos 50, sua família mudou-se para o Recife. Com 15 anos ganhou seu primeiro violão. Por ser um jovem travesso, foi expulso de diversas escolas. Jogava basquete no infantil do Náutico e foi campeão estadual em 1960.

Ingressou na Faculdade de Direito do Recife. Durante o curso, foi para a Universidade de Harvard, Estados Unidos. Em 1969 formou-se em Direito.

Carreira musical

Em 1971 fez opção pela música e mudou-se para o Rio de Janeiro. Junto com Geraldo Azevedo procurou Jackson do Pandeiro para que cantasse com eles num festival de MPB. Participou de festivais da TV Tupi e da TV Globo.

Em 1974 lançou “Molhado de Suor”, seu primeiro disco solo. Em 1975 teve a música “Caravana” incluída na trilha sonora da novela Gabriela da TV Globo. Em 1977 lançou “Espelho Cristalino”.

Em 1980, Alceu Valença assinou contrato com a multinacional Ariola. Nesse mesmo ano, lançou o disco “Coração Bobo”, cuja música título foi cantada em todo o país.

alceu valença

O sucesso comercial de sua carreira chegou em 1982, com o disco “Cavalo de Pau”, que despontou com as músicas “Tropicana” e “Como Dois Animais”. Em 1985 lançou “Estação da Luz”, que fez sucesso com “Bom Demais” e “Olinda – Sonhos de Valsa”.

Em seguida lançou: “Leque Moleque” (1986), “Andar Andar” (1990) e “7 Desejos” (1991), que fez grande sucesso com a música “Le Belle De Jour”.

Em 1996, ao lado de Geraldo Azevedo, Elba Ramalho e Zé Ramalho participou de uma série de shows intitulado “O Grande Encontro”, que percorreu o país e resultou no disco com o mesmo nome.

No ano seguinte, Alceu participou da noite “Pernambuco em Canto: Carnaval de Olinda”, no Festival de Montreux, na Suíça, ao lado de Geraldo Azevedo, Elba Ramalho, Naná Vasconcelos e Moraes Moreira.

Em 2002 lançou o disco “O Nordeste Elétrico de Alceu Valença” que fez grande sucesso com a música “Tropicana”.

Ainda em 2002 lançou o álbum “De Janeiro a Janeiro”, com destaque para as músicas: “Espelho Cristalino”, “Flor de Tangerina” e “Estação da Luz”, que recebe o Prêmio Tim da Música Brasileira na categoria de “Melhor Cantor Regional”.

Em 2003, Alceu Valença grava o álbum e o primeiro DVD, intitulado “Ao Vivo em Todos os Sentidos”, com grandes sucessos, entre eles: “Bicho Maluco Beleza” e “Diabo Louro”. Em 2006 lançou o álbum “Marco Zero”, gravado ao vivo.

alceu valença

Em 2014, depois de quatro décadas do lançamento de seu primeiro disco solo, Alceu lançou o álbum: “Amigo da Arte” com um repertório à base de frevos, cirandas e maracatus, muitos deles releituras de seus trabalhos anteriores, que chegou às lojas em fevereiro.

O álbum foi indicado ao Grammy Latino de Melhor Álbum de Música Regional ou de Raízes Brasileiras. Em agosto lançou o álbum “Valencianas”, no qual os sucessos como “Coração Bobo”, “Anunciação” e “La Belle De Jour” foram recriados em versões orquestrais com a orquestra Ouro Preto. Em 2015 ganhou o Prêmio de “Melhor Cantor Regional” no 26.º Prêmio da Música Brasileira.

Alceu Valença se divide entre o Brasil e Portugal, onde comprou um apartamento, e continua fazendo seus shows..

Cinema

Sua estreia no cinema se deu com a direção de “Luneta do Tempo”, uma história de cangaço com diálogos em ritmo de cordel, com roteiro do próprio Alceu.

A produção levou os prêmios de “Trilha Sonora” e “Direção de Arte” no 42º Festival de Cinema de Gramado. Entre roteiro, captação de recursos, escalação de elenco e filmagens, Alceu demorou quinze anos para concluir o trabalho. O filme foi lançado no circuito comercial em março de 2016.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


3 × dois =