Filme premiado de Lázaro Ramos é atacado por presidente da Fundação Palmares

 

Sérgio Camargo pediu boicote à obra que fala sobre racismo no Brasil por meio de uma distopia

O filme dirigido por Lázaro Ramos, “Medida Provisória”, foi alvo de ataques do presidente da Fundação Cultural Palmares, Sérgio Camargo, no sábado (20). Ele pede um boicote ao filme que se passa em um Brasil no futuro, em que é aprovada uma lei pelo Congresso Nacional que envia a população negra à África.

Sérgio Camargo postou nas redes sociais que se trata de “pura lacração vitimista e ataque difamatório”.

“O filme, bancado com recursos públicos, acusa o governo Bolsonaro de crime de racismo – deportar todos os cidadãos negros para a África por Medida Provisória. Temos o DEVER MORAL de boicotá-lo nos cinemas. É pura lacração vitimista e ataque difamatório contra o nosso presidente”, escreveu Camargo.

O thriller político já participou de festivais internacionais e foi bem recebido pela crítica especializada. Ele ganhou o prêmio de Melhor Roteiro no Indie Memphis Film Fest e foi considerado o “melhor filme brasileiro desde a ‘Cidade de Deus’” no festival Pan African Film. A LA Weekly o elegeu como o 2º melhor filme exibido na SXSW Film Festival.

Ao portal de notícias Poder 360, Lázaro comentou as declarações do presidente da Fundação Palmares. “Qualquer comentário sobre o filme é feito em cima de suposições ou desejo de polêmica, pois ninguém assistiu a obra a não ser quem esteve nos festivais onde o filme foi exibido com extremo sucesso vide as mais de 24 críticas positivas da obra“, disse o diretor.

Em outro momento, quando questionado por um internauta, Sérgio Camargo admite que, de fato, não viu o filme.

Print: Reprodução/Twitter

As gravações foram feitas em 2019, mas o lançamento havia sido adiado com a pandemia. Em entrevista ao portal Glamurama, o ator e diretor afirmou que o planejamento começou ainda em 2012 e o intuito era debater assuntos importantes.

“O tema do filme é difícil e doloroso, mas no final das contas a mensagem que eu quero deixar é que as pessoas têm potência, sem deixar de discutir as questões necessárias.”

Foto: Divulgação

O filme é estrelado por Alfred Enoch e Taís Araújo, com participação de Seu Jorge. A equipe de produção conta com RenataSorrah, Adriana Esteves, Mariana Xavier, Flavio Bauruqui, Pablo Sanábio e Emicida, entre outros. A estreia deve ocorrer em agosto de 2021.

Com informações de Terra e Poder 360

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


dois × 4 =