Atrativos turísticos do Paraná fascinam estrangeiros de diferentes nacionalidades

 

Parque Vila Velha e Parque Nacional do Iguaçu são dois exemplos de “atrações internacionais”. Estado quer estimular cada vez mais visitação de estrangeiros.

O Parque Vila Velha recebeu 88.689 visitantes desde a reabertura para o público, em setembro de 2020, após as restrições impostas pela pandemia de Covid-19. Mesmo com o cenário de redução nas viagens internacionais nos últimos anos, quase 300 turistas foram estrangeiros. Cerca de 10% vieram da Jordânia, 9% da Bolívia, 8,5% do Japão, 8% dos Estados Unidos e 7% da Alemanha.

Já os brasileiros que visitaram o Parque são, na grande maioria, do Paraná (66,86% dos visitantes), seguidos de Santa Catarina, com 11,53%, São Paulo, com 10,92%, Rio Grande do Sul, com 2,34%, e Rio de Janeiro, com 1,60%. Entre as cidades de origem a primeira é Curitiba, com 26 mil visitantes (quase 30% do total). Ponta Grossa está em segundo (15,72%), seguida por São Paulo (4,82%), Joinville (2,37%), e Londrina e Maringá (ambas com 1,7%).

No local, o público pode aproveitar os atrativos naturais já bem conhecidos – arenitos, furnas e Lagoa Dourada – e novas opções, como arvorismo, passeio em balão estacionário, tirolesa, cicloturismo, trilhas e caminhada noturna.

Sob a administração da concessionária Soul Park, o parque passou por melhorias nos últimos anos e potencializou seus motivos para a visitação. “Reformulamos todo o padrão de atendimento e nossa estrutura de operação, construímos uma nova praça central, implantamos quatro núcleos gastronômicos, reformamos o centro de visitantes, implantamos novas atrações de aventura imersivas na natureza e mudamos até mesmo a forma como o visitante experimenta tudo isso. Agora ele tem mais liberdade para aproveitar essas experiências por meio de um passeio autoguiado”, destaca o gestor Leandro Ribas.

O contrato de concessão foi assinado pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior no dia 19 de fevereiro de 2020. No entanto, com o início da pandemia no mês seguinte, o parque ficou fechado e as visitas foram retomadas no segundo semestre com capacidade de público limitada a 50%, mas já com novidades nas atrações.

“Muitos visitam o parque estimulados pelas novas atrações de aventura como a tirolesa, arvorismo, cicloturismo e o voo em balão estacionário”, cita Ribas. Conforme dados da empresa, cerca de 15 mil pessoas desceram na tirolesa e mais de 7 mil aproveitaram o circuito de arvorismo, atrações de aventura criadas pela concessionária para melhorar a experiência do visitante.

A partir deste mês de janeiro, a caminhada noturna conta com um novo telescópio, considerado um dos maiores do Paraná, e com o dobro da capacidade de resolução para propiciar imagens mais vivas e detalhadas dos astros. Oferecida quinzenalmente, quem comprar o ingresso para a caminhada noturna terá a possibilidade de entrar no parque a partir das 9 horas para conhecer todos os atrativos naturais antes do pôr do sol, quando o passeio começa.

O Parque Vila Velha foi a primeira Unidade de Conservação (UC) criada no Paraná, em 1953. Entre 2016 e 2019, o local teve média anual de 66,5 mil visitantes, segundo o Instituto Água e Terra (IAT). A maior visitação de turistas e famílias ocorria nos meses de novembro a janeiro e em julho (aliado às férias escolares).

CATARATAS – Outro atrativo concedido para a iniciativa privada e que atrai turistas estrangeiros é o Parque Nacional do Iguaçu, onde estão as Cataratas do Iguaçu. Ele recebeu 655.335 visitantes durante o ano, com crescimento gradativo na visitação, mês a mês, conforme a vacinação avançava no País e no mundo.

Mais de cem nacionalidades se conectaram com o maior conjunto de quedas d’água do planeta e uma das sete maravilhas naturais da Terra. Foram 49 mil turistas, com mais representatividade para Paraguai, Argentina, Estados Unidos, Colômbia, França, Alemanha, Espanha, Rússia e Peru.

OUTROS PARQUES – Hoje o Estado conta 70 Unidades de Conservação, sendo 24 delas com atrativos para o público. Elas são uma ótima opção de turismo ecológico para os paranaenses e visitantes de outras regiões e estão abertas neste verão.

Esses atrativos também receberam turistas estrangeiros no ano passado. “Com a pandemia, o peso do turismo dentro da matriz econômica do Estado foi sentido por todos. Os turistas vêm ao Paraná atrás de atrativos mais conhecidos, como as Cataratas do Iguaçu, mas queremos mostrar a eles que num raio de até 200 quilômetros existem outras belezas e atrações, especialmente em meio à natureza”, afirma o secretário estadual de Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes.

Para saber como chegar e outras informações sobre os parques do Paraná, acesse o mapa em http://www.iat.pr.gov.br/Pagina/Conheca-os-Parques-do-Parana.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*