O que é a dança folclórica?

A dança é conhecida por ser uma espécie de manifestação da cultura de cada região ou de algum grupo de pessoas. É caracterizada pela formação de passos que são acompanhados por algum ritmo musical.

A dança folclórica particularmente é caracterizada por uma sequência de passos que transmitem uma dança de forma social com base nos costumes e na tradição de um povo, sendo passada de geração a geração.

Principais Danças do Folclore

Dentre as principais danças folclóricas existentes no Brasil, algumas delas se destacam, como:

Samba de Roda

É uma dança que se assemelha muito a capoeira. Foi originada através do ritmo africano “semba” que reunia diversos passos e sons da África. É dançada ao som de berimbaus, atabaques e outros instrumentos de percussão. Quando o samba de roda foi trazido para a Bahia primeiramente, algumas adaptações foram feitas, reunindo além da dança e dos sons, a magia também da poesia. Hoje o samba de roda é conhecido no mundo inteiro.

Fandango

No Paraná o Fandango é uma festa típica dos caboclos e pescadores que habitam a região litorânea do estado. É determinado por um conjunto de danças chamadas (marcas), que podem ser bailadas(dançadas) e batidas (sapateadas, usando tamancos de madeira) e algumas valsadas.

Há registro de muitas marcas de Fandango, próprias para cada região em que é dançado. Anu, Xarazinho, Xará-grande, Queromana, Tonta, Chamarrita, Andorinha, Cana-Verde, Caranguejo, Vilão-de-Fita, Lageana, Sabiá, Tatu, Porca e

muitas outras variando conforme a região.

A letra dos estribilhos é fixa, mas os versos são improvisados na hora dependendo da capacidade do cantador.

Era costume dançar o Fandango principalmente no período do carnaval. Já que são quatro dias de folia.

Antigamente se dava o nome de entrudo ao folguedo carnavalesco. Durante esses quatro dias a população do litoral paranaense não fazia outra coisa senão “bater” Fandango e comer o “Barreado”, que é uma comida originalmente do litoral paranaense à base de carne e toucinho e cozido em panela de barro.

Maracatu

O maracatu é uma doença típica do Nordeste que simboliza a adoração pelos orixás. É uma dança onde todos saem fantasiados com seus devidos trajes e saem dançando pelas ruas, passando de mão em mão a “calunga”, boneca de pano presa em um bastão. É uma dança natural do carnaval e que teve sua origem em Pernambuco.

Frevo

É uma dança de carnaval de rua típica também de Pernambuco e é caracterizada por movimentos rápidos, aonde todos os indivíduos carregam consigo uma sombrinha colorida tal qual sua roupa. É uma dança que acompanha músicas tocadas geralmente apenas por surdos e sopros. Alguns acreditam que o frevo é a junção de diversas danças, outros acreditam que o frevo sofreu influencia diretamente da capoeira. Independe da sua origem, é uma dança que reúne diversos foliões com o mesmo objetivo, dançar e se divertir.

Baião

É uma dança que teve origem a partir do grande sucesso do cantor e sanfoneiro Luiz Gonzaga que cantava uma música intitulada “Baião”. Essa dança é característica do sertão nordestino que acabou sendo levada para todo o mundo. É uma dança agitada que se dança em pares, se assemelhando ao forró nordestino.

Catira

A catira é uma doença tipicamente gaúcha que teve sua origem através de influencias de diversas danças espanholas, inglesas e também africanas. É uma dança caracterizada por palmas e sapateios extremamente sincronizados formando assim uma coreografia. Todos os dançarinos, os chamados “catireiros”, se vestem iguais, trajando botas e muitas vezes chapéus.

Quadrilha

A Quadrilha é uma dança que simboliza o período de festas juninas. A cada festa junina organizada, são também organizadas as quadrilhas. A quadrilha é realizada em pares que seguem os dizeres de um responsável por ela. É realizada com a música tema da festa junina sendo somente instrumental e seguem um padrão, podendo ser adaptada dependendo de cada festa junina e de cada lugar aonde ela é realizada.

« »

acompanhe

boletim

receba notícias do site por e-mail

busca de cifras

almanaque

Brasil Cultura - O portal da cultura brasileira (2004 - 2014)

Carregando, por favor aguarde...

Compartilhar o artigo Lorem ipsum:

Compartilhar por e-mail

Adicionar aos favoritos