Mostra Cine Diversidade resiste e chega à quarta edição

 

Terminam hoje, terça-feira (17), as inscrições para a 4ª Edição da Mostra “Cine Diversidade – Gênero e sexualidade no cinema”, mostra de curta-metragens independentes brasileiros sobre gênero e sexualidade. O objetivo do projeto é desconstruir tabus colocando em pauta questões de visibilidade, protagonismo e empoderamento de mulheres e LGBTs.

Ao todo, serão exibidos mais de 55 filmes de forma gratuita no Youtube da Coletiva Delas, realizadora do projeto junto ao Freelas. Os curtas selecionados estarão disponíveis para o público entre 13 a 19 de março, nas Sessões Reflexos do Feminino e Cine Sexualidade; e entre 20 e 26 de março, nas Sessões Ser Trans e Especial Videoarte.

Os interessados em participar ainda podem inscrever seus trabalhos (https://forms.gle/Jnzx2jAVTB2k9Zuy8). Serão aceitos curtas-metragens de até 20 minutos, produzidos em território nacional, com baixo orçamento e poucos ou nenhum apoiador, realizados entre 2019 e 2021, que não tenham sido exibidos em nenhuma edição anterior da mostra e se enquadrem em uma das linhas propostas no regulamento.

Os participantes devem disponibilizar um link para o acesso aos filmes. Os exibidos concorrem a uma premiação decidida pelo voto popular. O filme mais votado receberá R$1.000, um curso completo sobre soft skills e inovação para profissionais criativos e um desconto de 10% para a contratação de serviço criativo na plataforma Freelas.

O segundo e terceiro mais votados receberão um prêmio de R$500, o curso completo de soft skills e inovação e um desconto de 5% para contratação de serviço na plataforma Freelas.

A edição também terá um debate virtual e três oficinas gratuitas: “A diversidade como chave para a escrita de roteiros originais”, “Como e porque montar equipes inclusivas” e “Representação dos corpos femininos na mídia”. A mostra está sendo realizada com recursos da Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro através do Prêmio Fomento a Todas as Artes.

Segundo dados da Associação Nacional de Travestis e Transexuais, em 2020 foram assassinadas 175 pessoas transexuais no Brasil O número representa aumento de 29% em relação às 124 mortes registradas em 2019. O ano de 2019 foi o segundo mais violento da década para transexuais, com um número de assassinatos menor apenas que os verificados em 2017, quando ocorreram 179 casos. O Brasil tem uma média de um assassinato de transexual a cada 48 horas.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


1 × um =