Seminário Analisa Arte e Loucura

A trajetória de personalidades como o Profeta Gentileza, Arthur Bispo do Rosário e o artista plástico Fernando Diniz exemplifica a influência positiva da arte na vida de portadores de doenças mentais. O seminário Cultura e loucura, que acontece de amanhã a quinta-feira no Centro Cultural Banco do Brasil, se propõe a aprofundar o assunto, a partir de questões como ”A experiência da loucura seria capaz de produzir genialidade?”, ”Existe relação direta entre loucura e arte?”, ”As obras produzidas por loucos seriam mais expressivas que as produzidas pelas pessoas ditas normais?”.
Com curadoria do psiquiatra e especialista em saúde pública Paulo Amarante, os debates vão reunir pessoas que, de alguma forma, conviveram com pacientes com transtornos mentais, como o psiquiatra Ricardo Aquino; o psicólogo e filósofo Peter Pal Pélbart; o diretor teatral Sérgio Penna, responsável pela preparação do elenco do filme Bicho de sete cabeças, de Laís Bodanzki; e o cineasta Helvécio Ratton, que produziu o documentário Em nome da razão, no Hospício de Barbacena. Além de profissionais versados no tema da loucura, os seminários vão contar com a presença de ex-internos, como o jornalista Edvaldo Nabuco e o músico Hamilton Assunção, que pretendem revelar suas experiências em manicômios.

O seminário, com início às 18h30, tem entrada gratuita com distribuição de senhas meia hora antes. Informações pelo telefone 3808-2020.

Author: Redação

Share This Post On