Parque Histórico do Mate

 

 

 

 

O Parque Histórico do Mate localizado na zona rural do Município de Campo Largo, no Km 17 da Rodovia BR 277, ocupando extensa área verde, com árvores nativas, lago, área de lazer e edificações.

A edificação principal, onde está instalado o Museu do Mate, é o resultado de restauração de antigo Engenho de Mate. Construído na segunda metade do século XIX pelo Coronel Carlos José de Oliveira e Souza para fabricação do mate chimarrão.  Foi vendido em 1896 por seu genro, Agostinho Ribeiro de Macedo, a Pedro Paulo Marchioratto, que converteu o maquinário para a produção da farinha de milho.

Tendo despertado o interesse de estudiosos por seu excelente exemplo arquitetônico de importante atividade paranaense, a economia ervamateira, o engenho foi restaurado e tombado pelo Patrimônio Paranaense em 1968.

Em janeiro de 1982 o engenho foi transformado em Museu, apresentando junto com o barbaquá, os processos tradicionais de produção e beneficiamento da erva-mate, destacando sua influência na história da vida paranaense.

Em 1984 foi tombado pelo Governo Federal, através do IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. É um complexo turístico – cultural destinado a levar aos visitantes, além do lazer, informações sobre a importância do Ciclo do Mate na História do Paraná, e o papel do seu cultivo na economia do Estado.

A industria ervamateira foi suporte na organização e na expansão dos meios de transporte fluvial e ferroviário no século XIX. Exerceu papel preponderante no desenvolvimento da Província, provocando uma metamorfose na economia, no comércio, na evolução gráfica e na arquitetura da Capital. Foi sem dúvida uma das principais alavancas para a Emancipação Política do Paraná (1853). Nesta época a exportação da erva-mate significava 86% do valor da exportação da Província. Esse predomínio entrou em declínio entre 1913 e 1929, quando reduz-se a exportação paranaense porque a Argentina passa a cultivar a erva-mate.

A erva beneficiada classifica-se em dois grupos, chá e chimarrão. Para o consumo do chimarrão utiliza-se um conjunto de utensílios: cuia (purungo), bomba e chaleira com água quente ou fria.

Hoje já se encontra no mercado alguns produtos oriundos da erva-mate, como: shampoos, sabonetes, balas, doces e saborosos sorvetes.

Em 2005, após nova restauração do Moinho e do Barbaquá através do IPHAN-PR, o Parque Histórico do Mate reabre ao público para visitação, com revitalização do acervo do seu Museu, onde são mostrados objetos, fotos e documentos sobre a história da erva-mate no Paraná.

Nas atividades do Parque estão propostas visitas monitoradas com agendamento de escolas; atendimentos especiais a grupos de turistas e idosos; e desenvolvimento de atividades dirigidas a estudantes universitários, como palestras, projeções, rodas de chimarrão, caminhadas, orientação em pesquisas, e outros.

O Parque ainda oferece os serviços da “Loja do Mate”, com venda de produtos específicos e outros com a grife do espaço.   

               

 

 

 

 

 

 

 

Horário de Visitação do Parque Histórico do Mate

 

 

 

De Teça a Domingo  – 09:30h às 17:00h

 

Informações e Agendamento de grupos  304-3330/304-3300

Internet: www..pr.gov.br/phmate

E-mail: phmate@pr.gov.br

 

 

Saiba mais aqui…Parque Histórico do MateRotulos de BarricasConfecção Artesanal de BarricasConsumo e Exportação da Erva-MateBibliografia

Author: Redação

Share This Post On