Festival de Teatro de Curitiba – Programação

Confira a programação da Mostra Contemporânea do Festival de Teatro de Curitiba:

ÚLTIMA VIAGEM DE BORGES, A 
ESTRÉIA
DRAMA – SÃO PAULO – SP
GUAIRINHA
Dia 17/03 às 20h30  –  Dia 18/03 às 20h30  –  Dia 19/03 às 20h30
Ingressos: R$ 24,00
A peça reconta e recria o universo borgiano através de imagens criadas pelo autor, reconhecendo e legitimando o caráter ficcional da construção literária que, através do teatro, será atualizado como um ritual de passagem e auto-conhecimento da personagem central. O texto literário de Jorge Luis Borges é uma referência imprescindível para se expressar o nosso século como sendo dominado pela ausência de limites entre a realidade e a imaginação, e a defesa de uma ética literária e histórica que aceite as provocações e diferenças. É a eternidade do infinito, brincando de imortalidade com os homens através dos livros. A Última Viagem de Borges levará a um caminho que não tem volta. E a opção deve ser de cada um: seguir ou não esta jornada.

 

Texto: Ignácio de Loyola Brandão. Direção: Sérgio Ferrara. Cenário/figurinos: Maria Bonomi. Iluminação: Caetano Vilela. Sonoplastia: Sérgio Ferrara. Produção Executiva: Marco Aurélio Nunes. Assistente de cenários/figurinos: Carlos Pedreañez. Elenco: Luiz Damasceno, Flávia Pucci, Marco Antônio Pâmio, Olayr Coan, Fernando Pavão, Rodrigo Bolzan. Duração: 90 minutos

FOI CARMEM MIRANDA  
ESTRÉIA    São Paulo – SP
REITORIA
Dia 17/03 às 20h30   –  Dia 18/03 às 20h30 
Ingressos: R$ 24,00
Carmem Miranda, a mais brasileira das portuguesas e a pequena, para sempre notável é um misto incomum de cantora, bailarina, coreógrafa, atriz, que, se viva hoje, seria sem sombras de dúvidas considerada uma das maiores performers do mundo. O ano de 2005 que  marca 50 anos de sua morte será, certamente um ano de muitas homenagens. Uma delas, com espetáculo de teatro/dança concebido por Antunes Filho, que depois de Curitiba será visto numa prévia por Kazuo Ohno, em Tókio no seu 100º aniversário. Depois, certamente o Brasil poderá conhecer essa Carmem Miranda numa visão muito particular e delicada do maior diretor de Teatro do Brasil.
As suas atitudes e os seus gestos tornaram-se tão arquetípicos que ela foi eleita nos mais variados universos à musa inspiradora: no carnaval, em bailes e bandas gays, pelos travestis, nas suas vestimentas, cantoras e dançarinas, enfim, um ícone sem precedentes no mundo artístico brasileiro até então. Suas características eram tão pessoais, que bastaram 06 minutos para ela se tornar um dos ícones da Broadway nos anos 40. Carmem Miranda na verdade nasceu em Portugal e veio para o Brasil com 18 meses. Fez apenas o ginásio, pois foi obrigada a deixar a escola para trabalhar e ajudar seu pai, barbeiro e sua mãe dona de uma pensão.

MALDIÇÃO DO VALE NEGRO, A 
COMÉDIA – SÃO PAULO – SP
AUDITÓRIO BENTO MUNHOZ DA ROCHA NETTO (GUAIRÃO)
Dia 18/03 às 20h30 – Dia 19/03 às 20h30  –  Dia 20/03 às 20h30
Ingressos: R$ 24,00
Em Vale Negro, um lugar cercado de mistérios, segredos e maldições, vivem os remanescentes da família Belmonte, aristocratas que se vêem à beira da ruína por uma dívida de jogo. Paródia do melodrama clássico, criado a quatro mãos, em 1986, pelo escritor Caio Fernando Abreu (1948-1996) e pelo diretor teatral Luiz Arthur Nunes, dá continuidade à proposta dos produtores de levar à cena diferentes vertentes da comédia ocidental.
A encenação é resultado de uma pesquisa de linguagem sobre as formas do melodrama do século XIX e do resgate do vasto baú de recursos fáceis que há três séculos encanta o palco melodramático: os cenários pintados, os figurinos vistosos, a maquiagem exagerada, o gestual exacerbado, o tom declamatório, o emocionalismo paroxístico, a música grandiloqüente e a iluminação carregada, além de efeitos como os quadros-vivos pontuando a narrativa. A grande inovação técnica da montagem está no cenário virtual com animação em 3D.

CARAVANA PRODUÇÕES – Texto: Caio Fernando Abreu e Luiz Arthur Nunes. Direção: Luiz Arthur Nunes. Narração (em off): Paulo Autran. Assistência de direção: Marcos Ácher. Adaptação para cenário virtual: Fábio Passos. Elementos cenográficos: Cláudio Amaral Peixoto. Figurinos: Marcelo Pies. Iluminação: Samuel Betts. Trilha Sonora: Wesley Coll. Visagismo: Mona Magalhães. Preparação corporal: Antonio Negreiros. Direção de produção: Maria Helena Alvarez. Produtores associados: Camila Pitanga, Marcos Breda e Caravana Produções. Elenco: Camila Pitanga, Marcos Breda, Bruno Garcia, Mario Borges, Leonardo Netto, Alice Borges, Carolina Virguez. Duração: 90 minutos.

DANÇA LENTA NO LOCAL DO CRIME
DRAMA – SÃO PAULO – SP
UNICENP
Dia 19/03 às 20h30 –  Dia 20/3 às 20h30  –  Dia 21/03 às 20h30
Ingressos: R$ 24,00
A peça trata de um encontro inusitado: um senhor em seu armazém, um jovem negro de inteligência altíssima e uma menina grávida. A cena se passa numa antiga loja do Brooklin – EUA, mas nesta montagem será adaptada para um armazém brasileiro. Neste armazém se encontra Glas que cuida pacientemente das prateleiras e suas mercadorias, Randall um jovem negro forte e bonito que trava um embate ideológico com Glas que foi prisioneiro de campo de concentração.
A peça transcorre cheia de mistério e surpresas até que aparece Rosie, uma menina de classe média, que está grávida e procura o local onde fica uma clínica sinistra. Desse encontro nascerá uma cumplicidade aonde as personagens vão se deixando revelar fazendo uma radiografia do contexto social em que vivemos.

ÓPERAGRAIN  e N.I.T(Núcleo de Investigação Teatral da USP).  Autoria: William Hanley .Direção e Iluminação: Luiz Valcazaras Produção Executiva: Rosa Casalli. Cenografia: Fábio Brando. Trilha Sonora e Figurino: N.I.T. Preparação Corporal: José Giordano.  Assistente de Direção: Silmara Soares. Elenco: Regiane Alves, Antonio Galleão, Rogério Brito. Duração:

CAMINHO DE CASA, A 
DRAMA – RIO DE JANEIRO – RJ
REITORIA
Dia 20/03 às 20h30 –   Dia 21/03 às 20h30  –   Dia 22/03 às 20h30
Ingressos: R$ 24,00
Três histórias que se cruzam a partir de um acontecimento comum: a explosão de um ônibus nos arredores de uma grande cidade. O espetáculo fala sobre o que se passa em torno deste fato.
Em “Sobre a Dificuldade de Dar um Passo”, a primeira das histórias, a explosão do ônibus causa um grande engarrafamento numa auto-estrada, forçando a convivência entre estranhos com idéias bastante diferentes sobre a vida. Seis carcaças de automóveis compõem o cenário, por onde desfilam figuras como uma lutadora de telecatch, um legista e uma noiva a caminho do casamento.
O segundo fragmento – “A história do Velho Sufi e do Menino Judeu” – é uma fábula sobre a tolerância. Ao lado de um bordel lotado de putas francesas, a solidão e dor da perda unem um velho e um menino numa amizade inesperada. Na terceira história – “Crianças Brincando em Campo Sagrado” – uma mãe conversa com Deus sobre Fé e chora a morte de seu filho (provocada pela explosão do ônibus).

ARMAZÉM COMPANHIA DE TEATRO – Autoria: Maurício Arruda Mendonça e Paulo de Moraes. Direção: Paulo de Moraes. Assistente de produção: Flávia Menezes.Técnicos de palco: Wladimir Maciel e Carlos Eduardo Nascimento. Elenco: Patrícia Selonk, Simone Mazzer, Simone Vianna, Sérgio Medeiros, Thales Coutinho, Ricardo Martins, Isabel Pacheco, Stella Rabello, Marcelo Guerra, Raquel Karro. Duração: 120 minutos.

ARENA CONTA DANTON 
DRAMA –   SÂO PAULO – SP
SHOPPING NOVO BATEL – PISO A
Dia 21/03 às 20h30   – Dia 22/03 às 20h30
Ingressos: R$ 24,00
Espetáculo-jogo tramado a partir de A Morte de Danton (1835), de Georg Büchner (1813-1837). O texto original, por sua vez, baseia-se num fragmento decisivo da história do Ocidente: os últimos dias do revolucionário Georges-Jacques Danton e do processo político que o levou à guilhotina durante o período da Revolução Francesa, conhecido como “Terror”, cuja figura emblemática foi Maximilien de Robespierre.
A montagem procura reler o Sistema Coringa, formulado por Augusto Boal nos anos 1960, época de Arena Conta Zumbi e Arena Conta Tiradentes. É a esses espetáculos, aliás, que se deve o título ARENA CONTA DANTON, expressão do desejo não só de criar um diálogo entre a Cia. Livre e a história do Teatro de Arena de São Paulo, mas também de refazer o cordão de ouro entre duas gerações teatrais.

CIA LIVRE DA COOPERATIVA PAULISTA DE TEATRO – Autoria: Georg Büchner.  Adaptação: Fernando Bonassi. Direção: Cibele Forjaz.  Diretor de produção: Silvia Marcondes Machado/Henrique Mariano.Cenógrafo: Simone Mina. Iluminação: Alessandra Domingues. Contra-regra: Elisete Jeremias. Operador de Luz: Diego Carrara/Sidnei Sergio Rosa. Operador de Som: Peterson Negreiros. Elenco: Luciano Chirolli, Eucir de Souza, Edgar Castro, Flavio Rocha,
Mauricio de Barros, Luah Guimaães, Tatiana Thomé. Duração: 70minutos

BAQUE  
DRAMA – RIO DE JANEIRO – RJ
GUAIRINHA
Dia 22/03 às 20h30   –   Dia 23/03 às 20h30
Ingressos: R$ 24,00
Três peças, três tragédias, três monólogos trazem à tona questões básicas de moralidade e resignação humana. Em “Baque” os personagens contam seus segredos como se estivessem em um confessionário. Porém, há uma falsa familiaridade no ar, o que reforça a investigação de Neil Labute sobre a sordidez que se esconde nos mais plácidos ambientes.
Em “Medea Redux”, a personagem parece estar tentando achar uma linguagem para justificar sua própria vida, enquanto narra como foi seduzida por um professor aos 13 anos de idade.
Em “Um Bando de Santos”, um jovem casal de universitários relembra um fim de semana inesquecível no Rio de Janeiro, onde banalidade, inocência e violência se misturam.
E em “Efhigenia in Orem”, um simpático homem de negócios precisa  repetir e repetir eternamente, a sua terrível tragédia para tentar superá-la.

Texto: Neil Labute. Tradução e adaptação: Geraldo Carneiro. Direção: Monique Gardenberg. Cenário: Isay Weinfeld. Iluminação: Maneco Quinderé. Elenco: Deborah Evelyn, Emilio de Mello, Carlos Evelyn. Duração: 90 minutos.

CODA  
DRAMA – FRANÇA
ÓPERA DE ARAME
Dia 23/03 às 20h30  –   Dia 24/03 às 20h30   –  Dia 25/03 às 20h30 –   Dia 26/03 às 20h30 –  Dia 27/03 às 20h30
Ingressos: R$ 24,00
O imaginário e o real, o sujeito e seu inconsciente são elementos da construção desse espetáculo francês, que mergulhado no fluxo da comunicação contemporânea constrói um teatro de memória que transita de Artaud a Verdi, de Bach a Pirandello, sem deixar de lado a fidelidade a Hölderlin e Kafka. Músicas e palavras fluem e refluem em ondas sonoras que envolvem os espectadores. A companhia Théâtre du Radeau ocupa um lugar único no panorama francês. Seus trabalhos transitam pela exploração de uma idéia de teatro criada a partir de um conjunto de sinais aparentemente desconexos, que vão aos poucos transmitindo seu sentido para o espectador.

THÉÂTRE DU RADEAU – Direção e Cenário: François Tanguy.  Elenco: Jéssica Batut, Frode Bjornstad, Laurence Cable, Dominique Collignon-Maurin, Emilie Couratier, Dietrich Garbrecht, Boris Sirdey. Duração: 60 minutos.

DANÇA DO UNIVERSO, A – UMA CELEBRAÇÃO  
ESTRÉIA
DRAMA – SÃO PAULO – SP
UNICENP
Dia 24/03 às 20h30  –  Dia 25/03 às 20h30  –  Dia 26/03 às 20h30
Ingressos: R$ 24,00
O livro “A Dança do Universo”, do físico Marcelo Gleiser, foi ponto de partida e inspiração para este espetáculo que para unir o mundo objetivo (da ciência) ao mundo subjetivo (do teatro), traz à lembrança o físico brasileiro Mário Schenberg e, com ele, mergulha no interminável conflito entre a ignorância e o conhecimento, desde os mitos da Criação.
Ao investigar a vida e as idéias de personagens como Copérnico, Kepler, Galileu, Newton e Einstein o teatro revela, pelo humor e pela poesia, a condição linda e miseravelmente humana desses homens que mudaram a nossa relação com a Natureza e com o Universo.
Depois de “Einstein”, “Copenhagen”, “Perdida, uma comédia quântica”, “Quebrando Códigos”, E agora, Sr. Feynman?”, e os infantis” DaVinci Pintando o Sete “e ’20.000 Léguas Submarinas Ufa!”, esta é a maneira que o Núcleo Arte Ciência no Palco encontrou para celebrar os 100 Anos da Relatividade (1905-2005) e o Ano Mundial da Física, como um estímulo à reflexão e um desafio ao público).

NÚCLEO ARTE CIÊNCIA NO PALCO DA COOPERATIVA PAULISTA DE TEATRO – Autoria: Oswaldo Mendes. Direção: Soledad Yunge. Cenário e figurino: Carlos Palma. Composição musical: Oswaldo Mendes e Edgar Bustamante. Trilha sonora: Sergio Yamamoto. Iluminação: Gisele Scudelio.  Operação de luz: Anselmo Alves. Assistente de direção: Erika Montanheiro. Preparação corporal: Cuca Bolaffi. Elenco: Adriana Dham, Carlos Palma, Edgar Bustamante, Edson Alves, Monika Plöger, Oswaldo Mendes, Selma Luchesi. Duração: 120 minutos.

DAQUI A DUZENTOS ANOS 
Estréia
DRAMA – CURITIBA – PR
ACT
Dia 25/03 às 20h30 – Dia 26/03 às 20h30   –   Dia 27/03 às 20h30
Ingressos: R$ 24,00
Uma pessoa diante de outras e uma história para contar. Entre os dois, apenas a palavra. A busca pelo caminho mais simples, por uma palavra clara e compreensível, pelo entendimento da história, pelas imagens que se formam e se vão a cada instante. Os personagens projetam uma vida ilusória num tempo inalcançável, são uma espécie de fantasmas à espera de uma vida um pouco menos tola. Diversos contos, de Anton Tchekhov serviram como matéria-prima para a elaboração da dramaturgia final do trabalho, entre eles “Brincadeira”, “A Corista”, “O Caso do Champanhe”, “O Amor”, “A Morte do Funcionário”, e “O Espelho”.  Os contos escolhidos, de temáticas distintas, transitam do lirismo ao humor, com críticas à sociedade e ao comportamento humano, através de reflexões éticas atuais e contundentes. Foram selecionados pelo Grupo de Estudos sobre Tchekhov, equipe interdisciplinar, que realizou pesquisas teóricas e práticas em torno da obra do autor russo, criado pelo ACT em fevereiro de 2004.

ACT – ATELIÊ DE CRIAÇÃO TEATRAL – Texto: Anton Tchekhov. Direção geral e dramaturgia: Marcio Abreu. Assistentes de direção e dramaturgia: Michelle Siqueira, Marcos Davi. Produção executiva: Michelle Siqueira. Direção de produção: Nena Inoue. Música: Edith Camargo. Preparação vocal: Babaya. Cenografia e figurinos: Teca Fichinski. Iluminação: Nadja Naira. Operação de luz Mitiko. Elenco: Luis Melo, Janja, André Coelho, Carolina Fauquemont, Edith Camargo.

DILÚVIO EM TEMPOS DE SECA
DRAMA – RIO DE JANEIRO – RJ
AUDITÓRIO BENTO MUNHOZ DA ROCHA NETTO (GUAIRÃO)
Dia 25/03 às 20h30  –  Dia 26/03 às 20h30
Ingressos: R$ 24,00
Uma extravagante modelo posa para um escritor dentro de um banheiro claustrofóbico, como se ele fosse um pintor. Na rua, um dilúvio que não acaba nunca. Nesse ambiente de intimidade, o homem e a mulher têm como objetivo inicial escrever um livro sobre o amor. Por trás disso, simbolicamente, querem vivenciar o amor e acabar com a distância que existe entre eles.
Uma situação incomum, personagens atuais, a angústia de sempre em seres marcados por cobranças da sociedade pós-tudo; diálogos espertos, comunicação cortada, agressiva, monólogos com pontes arriscadas até o outro. Não é uma peça sobre um casal. O espetáculo trata da solidão do homem e da necessidade de mudar esse estado de abandono. Ser amante e conseguir amar.

AIMS PRODUCTIONS INT. LTDA – Autoria: Marcelo Pedreira. Direção: Aderbal Freire-Filho. Diretor de produção: Sérgio Martins. Produtor: Nil Caniné. Contra-regra: Fernando Ostrovsky. Operador de som: Carina Camurati e Leandro Petersen. Elenco: Giulia Gam, Wagner Moura, Marcelo Pedreira.
Duração: 100 minutos.

BORGHI EM REVISTA 
Drama     SÃO PAULO – SP
REITORIA
Dia 26/03 às 20h30   –   Dia 27/03 às 20h30
Ingresso: R$ 24, 00
Ao comemorar 45 anos de carreira, Renato Borghi revive no palco os momentos mais marcantes como a fundação do Teatro Oficina, ao lado de José Celso Martinez Corrêa, e a participação em montagens históricas como “Rei da Vela”, “Pequenos Burgueses”, “Galileu Galilei” e “na Selva das Cidades”.
A peça inicia com Borghi relembrando sua infância, no Rio de Janeiro, e seu fascínio pela Rádio Nacional, da descoberta do Teatro de Revista, do teatro de Procópio Ferreira, Dulcina, Jaime Costa e Bibi Ferreira, do Teatro Brasileiro de  Comédia.
Ao abordar os anos 80, Borghi fala sobre sua experiência como autor de sucessos como O Lobo de Rayban, Estrela Dalva e Decifra-me ou Devoro-te. Encerrando o espetáculo, Borghi enfoca o seu trabalho junto ao Teatro Promíscuo e divide com a platéia seus sonhos e projetos para o futuro.

TEATRO PROMISCUO – Autoria: Renato Borghi.  Adaptação: Elcio Nogueira Seixas. Direção: Elcio Nogueira Seixas. Diretor de produção: Henrique Mariano
Operador de som: Paulo Del Castro. Operador de luz: Douglas Valiense/ Jackeline Gallo.Técnico: Tika Tiritilli – operador de mídia visual. Contra-regra: José Bias. Elenco: Renato Borghi e Ariel Borghi. Duração: 180 minutos

TRÊS PORQUINHOS, OS  Mostra Infantil
INFANTIL     SÃO PAULO – SP
Teatro Regina Vogue
Dia 19/03 às 15h  –  Dia 20/03 às 15h
Ingressos: R$ 24,00
Adaptação do conto clássico Os Três Porquinhos mostrado com leveza, poesia, humor e brincadeira. É um espetáculo irreverente e musical tendo na linguagem do palhaço o grande fio condutor. Nessa versão, a companhia conta à história de dois açougueiros, Pipo e Pepe que trabalham em um açougue muito diferente, onde há todo tipo de carne, de óculos, bicicleta, martelo, banana, menos carne de verdade. Um dia, um freguês pede carne de porco e então é armada toda a confusão. Um dos açougueiros se veste de lobo para desta forma entrar na história dos Três Porquinhos e conseguir a carne tão desejada.

LE PLAT DU JOUR – Criação: Alexandra Golik e Carla Candiotto e Alexandre Roit Direção: Alexandre Roit.  Cenografia e figurinos: Luciana Bueno. Figurinista e assistente: Olinto Malaquias. Adereços: Ivaldo de Melo. Execução de cenografia: Nani Brisque, José Godoi e Sandra Helena Nunes. Iluminação: Rodrigo Matheus.
Trilha sonora: Marco Boaventura e Gustavo Bernardo. Arte: Cynthia Vasconcellos
Produção e realização: Le Plat du Jour. Elenco: Alexandra Golik e Carla Candiotto. Duração: 55 minutos.

FAMILIA SUJO, A    MOSTRA INFANTIL
INFANTIL  PORTO ALEGRE – RS
Teatro Regina Vogue
Dia 24/03 às 15h   –   Dia 25/03 às 15h
Ingressos: R$ 24,00
Uma rádio-peça para crianças feita ao vivo, contando a história de uma família que não se esmera na limpeza. Sérgio Sujo, o pai, Sula Sujo, a mãe, vivem momentos de atrapalhação quando a  filha do casal, Sílvia Sujo, desaparece em meio à sujeira. O uso de uma nova linguagem que desperta a imaginação através de estímulos sonoros e visuais. Três contadores de história usam músicas e variados efeitos sonoros (no melhor estilo radiofônico) para levar a história ao público.  As canções foram compostas para incentivar a participação do público, seja cantando, acompanhando com palmas ou através de outras brincadeiras musicais sugeridas pelo elenco.

GRUPO CUIDADO QUE MANCHA – Direção: Mirna Spritzer & Raquel Grabauska. Trilha sonora: Gustavo Finkler. Elenco: Gustavo Finkler, Raquel Grabauska e Vika Schabbach. Duração: 40 minutos.

20.000 LÉGUAS SUBMARINAS, UFA!!l  MOSTRA INFANTIL
(Júlio Verne para crianças)
INFANTIL – SÃO PAULO – SP
Teatro Regina Vogue
Dia 25/03 às 15h – Dia 26/03 às 15h – Dia 27/03 às 15h
Ingressos: R$ 24,00
Duas crianças brincam com uma lâmpada. Elas acreditam na magia da eletricidade e imaginam estar no submarino Nautilus, inventado pelo Capitão Nemo. Num apagar e acender da lâmpada, se vêem dentro da aventura literária criada por Júlio Verne. Defrontam com Nemo que quer mudar o fim da sua aventura. Elas entendem a vontade do capitão, mas se vêem impossibilitadas de mudar o rumo dos acontecimentos, pois já se encontram fixados nas páginas de um livro e na memória de todos. Tentam encontrar, por todos os meios, Júlio Verne.

NÚCLEO ARTE CIÊNCIA NO PALCO DA COOPERATIVA PAULISTA DE TEATRO – Adaptação: Lica Neaime e Carlos Palma. Direção: Flavia Pucci. Cenário Carlos Palma. Figurino: Pablo Moreira.Trilha sonora: Sergio Yamamoto
Iluminação: Gisele Scudelio. Adereços: Marcela Donato. Edição de arte: Adriana Carui. Fotos: Osvaldo Mota. Cenotécnico: Paulo Magioni. Costureira: Judite de Lima. Produção executiva: Adriana Dham. Elenco: Adriana Dham, Fernando Paz, Edson Alves, Edgar Bustamante. Duração: 60 Minutos.

Atenção:
Antes de sair de casa, confira as alterações de horários e cancelamentos de peças direto pelo site do Festival de Teatro. Ocorreram alterações após o fechamento do Guia do Festival em função de problemas das companhias. Verifique sempre o portal do Festival para ter informações atualizadas.

Para acessar a programação da Mostra Fringe, acesse o site do Festival de Teatro, em link relacionados…

 

Festival de Teatro de Curitiba
http://www.festivaldeteatro.com.br

Author: Redação

Share This Post On