Santa Cruz de Goiás – História

 

 

Em 1721, O Governador da Capitania de São Paulo, Rodrigo César de Menezes, ordenou a Manoel Dias da Silva que se deslocasse até as minas de Cuiabá em busca de ouro. Seguindo o itinerário e rumo ao local desejado, Dias da Silva resolveu parar em um sítio para descanso de sua tropa. Pesquisando o que era comum na época, constatou que havia ouro no local e de grande valia. Em agradecimento a Deus – era um homem muito religioso- ergueu uma cruz de madeira, e nela escreveu “VIVA EL REI DE PORTUGAL” surgiu daí o Arraial por nome de Santa Cruz, em 7 de agosto de 1729. 

 

 

 

 

 

De acordo com dados da prefeitura, através da carta régia de 1809 foi criado o Julgado de Santa Cruz. Nesse mesmo ano, a Capitania de Goiás é dividida em duas comarcas: a do Norte e a do Sul. A Comarca do Sul, com sede em Vila Boa, recebe o nome de Comarca de Goiás e compõe-se de seis julgados, entre eles a de Santa Cruz. Já a Comarca do Norte compreendia oito julgados. O território do Julgado de Santa Cruz era quase do tamanho de Portugal, limitando-se com a Comarca de Paracatu, na Província de Minas Gerais, e com a Província de São Paulo. Era uma área totalmente desconhecida. Em 1º de outubro de 1833, o julgado é elevado à categoria de vila. E em 6 de julho de 1850, pela Lei nº 19, o Termo de Santa Luzia, que desde a sua fundação pertencia a Vila Boa, é incorporado à Comarca de Santa Cruz. No dia 10 de junho de 1861, a Lei nº 323 passa o Termo de Santa Cruz para a Comarca do Rio Paranaíba. As vilas e povoados foram se desenvolvendo, a população aumentando e vários municípios tornaram-se independentes. Assim aconteceu com povoações que pertenciam a Santa Cruz. Entre elas, Catalão, Bonfim (Silvânia), Campo Formoso (Orizona), Vila Bela de Morrinhos, Santa Rita do Paranaíba (Itumbiara), Pouso Alto (Piracanjuba) e Caldas Novas. Em 23 de junho de 1873 a Resolução Provincial nº 506 criou a Comarca de Santa Cruz e o Ato nº 4.683 designou as vilas de Santa Cruz e São José do Tocantins para sede das respectivas comarcas.Em 1º de janeiro de 1874 é instalada a Comarca de Santa Cruz. Finalmente, em 1º de abril de 1833 passa a município , juntamente com Arraias e Santa Luzia. A Lei Provincial nº 735 eleva o município a Vila. Em 1914, os trilhos da Estrada de Ferro Goiás chegaram às margens do Rio Corumbá e município de Santa Cruz. A estação ferroviária recebeu o nome de Roncador. Quando o assentamento dos trilhos atingiu o quilômetro 218, dentro do município, mas distante 24 quilômetros da sede, levou o nome de Pires do Rio. Essa estação obteve um grande progresso, e a partir da Lei nº 66 da Intendência, de 23 de agosto de 1924, passou a categoria de distrito de Santa Cruz.Mais tarde foi elevado à categoria de município de Pires do Rio. A Comarca de Santa Cruz foi criada através da Lei nº 804, de 9 de julho de 1926. Em 31 de dezembro de 1943, Santa Cruz passa a ter uma nova denominação: Corumbalina.No dia 25 de agosto de 1948, através da Lei nº 119, foi criado o município de Santa Cruz. A instalação solene aconteceu em 1º de janeiro de 1949. Fato triste os moradores lamentam até hoje:a falta de empenho de seus feitores do início do século para a inclusão do município na linha da estrada de ferro, motivo que atrasou seu desenvolvimento e crescimento. 

 

Saiba mais…

www.santacruzdegoias.com

    Author: Redação

    Share This Post On