História de São João del Rei

 

História de São João del Rei

 

    São João del Rei foi fundada em fins do século XVII por taubateanos liderados por Tomé Portes del Rei que por isso é considerado seu fundador.

 

    Em 1709 a cobiça pelo ouro gera discórdia entre portugueses e paulistas dando causa à Guerra dos Emboabas acontecendo o triste episódio do “Capão da Traição” quando os paulistas foram emboscados e chacinados pelos portugueses.Em 08 de dezembro de 1713 o arraial alcançou foros de vila com o nome deSão João del Rei,homenagem a D. João V e também passa a ser sede da Comarca do Rio das Mortes.

 

     O ouro a pecuária e a agricultura foram os fatores de desenvolvimento e progresso da vila e aos 6 de março de 1838 é elevada à categoria de cidade.São João del Rei participou sempre das decisões mineiras e nacionais. Em 1833 na Sedição Militar de Ouro Preto: em 1842 na Revolução Liberal, e sendo sede do 11°BI – Batalhão Tiradentes, participou  das revoluções de 1930 e 1964. Combateu na Itália triunfando em Montese e Castelnuovo. Aqui nasceram os grandes heróis nacionais:

 

 

 

 Joaquim José da Silva Xavier

 

 (o Tiradentes ­Proto Mártir da Independência e Patrono Cívico da Nação Brasileira);

 

Bárbara Heliodora Guilhermina da Silveira

 

(a heroína da Inconfidência).

 

Na atualidade o sanjoanense

 

 Ex. Presidente Dr. Tancredo de Almeida Neves

 

 (instaura a nova república e conduz o Brasil novamente à Democracia).

 

 

 

Monumentos   

 

   

  Em São João del Rei encontram-se exemplares de arquitetura colonial mineira. O paço Municipal (Prefeitura), Casa do Barão de Itambé, os solares do Barão de São João del Rei da Baronesa de Itaverava, dos Lustosas, dos Neves o casario da rua Santo Antônio e muitos outros. O solar de João Antônio da Silva Mourão onde está instalado o museu do SPHAN é um dos mais belos prédios da cidade. Há o pelourinho (lembrança da férrea Justiça colonial) o Chafariz da Legalidade, as pontes da Cadeia e do Rosário o monumento ao Cristo Redentor no alto da Bela Vista donde se descortina a visão geral da cidade e outros. 

 

 

 

Templos   

 

   

  Além dos 5 passos da Via Sacra há em São João del Rei as seguintes igrejas e capelas: Catedral-Basílica do Pilar ( 1721 ) – Rosário ( 1720) – Carmo (1733) – Mercês e Bonfim (1769) – São Francisco de Assis ( 1774) – Senhor dos Montes  Santo Antônio e N. Sra. da Piedade do Bom Despacho (antiga capela da Cadeia além das que foram construídas neste século.

 

O estilo da maioria destas igrejas obedeceu àquele que se denomina “barroco mineiro” onde salienta-se a opulência dos altares dourados e a profusão de detalhes arquitetônicos e ornamentais. Notabitizaram-se nestas construções grandes artífices como: Manoel Rodrigues Coelho, Francisco de Lima Cerqueira, Luiz Pinheiro de Souza, Joaquim de Assis Pereira e Aniceto de Souza Lopes.

 

     

 

Sinos   

 

   

  Os sinos de São João del Rei com seus toques e dobres têm mantido uma linguagem peculiar ainda conhecida de muitos sanjoanenses. Sabe-se, por exemplo, pelo repique, dobre ou toques onde será realizada a solenidade; se haverá procissão; hora da missa e quem será o celebrante e muitas outras informações.Nos dobres fúnebres fica-se sabendo se a pessoa falecida era homem ou mulher e até mesmo o horário do funeral.

 

 

 

Artes   

 

   

  Entre as artes, a Música é o pendor maior dos sanjoanenses, sendo justo os cognomes de “Terra da Música” e “Terra onde os sinos falam” dados a São João del Rei desde o século XIX. Existem aqui, duas corporações musicais mais que centenárias: as orquestras Lira Sanjoanense e Ribeiro Bastos, responsáveis pela grande tradição da música sacra nas igrejas são-joanenses, ainda hoje em pleno vigor. Existem ainda, a Sociedade de Concertos Sinfônicos e o Conservatório Estadual de Música “Pe. José Maria Xavier”. Entre os compositores sanjoanenses, os mais notáveis foram o Pe. José Maria Xavier, Martiniano Ribeiro Bastos, Luiz Baptista Lopes, Presciliano Silva e João Feliciano de Souza.

    Cidade culta, São João del Rei sempre foi famosa pelos seus educandários e inúmeros sanjoanenses, por seu notório saber, ocuparam cargos de relevância política e administrativa no Império e na República. Reafirmando a cultura sanjoanense, são ativos o Instituto Histórico e Geográfico e a Academia de Letras de São João del Rei. Recentemente foram federalizadas as instituições de Ensino Superior sanjoanenses congregados pela Universidade Federal de São João Del Rei (UFSJ) , funcionando os cursos de Psicologia, Pedagogia, Filosofia, Ciências, Letras, Ciências Econômicas, Administração, Engenharia Ind. Elétrica e Engenharia lnd. Mecânica.

 

                                            Universidade Federal de São João Del Rei (UFSJ)   www.ufsj.edu.br 

 

Artesanato   

 

    Em São João del Rei, o artesanato mobiliza pessoas das mais variadas classes, tendências e estilos

 

 

    Author: Redação

    Share This Post On