Cristo Brasil – Terceira Maravilha

 

 

 

 

 

 

 

O Cristo Redentor, localizado no Rio de Janeiro, foi eleito como a terceira maravilha do mundo, em solenidade que aconteceu no estádio da Luz, em Lisboa, Portugal. O primeiro lugar ficou com a Muralha da China e o segundo para Petra, na Jordânia, conhecido pelas filmagens do filme “Indiana Jones”.

O embaixador do Brasil em Portugal e o técnico de futebol Luiz Felipe Scolari, o Felipão, receberam a premiação brasileira.

A prêmio para a quarta maravilha do mundo ficou com Machu Picchu, no Peru. A pirâmide de Chichén Itzá no México foi proclamada a quinta e o Coliseu, em Roma, ficou em sexto.

A última vaga para as paisagens mais belas do mundo ficou com Taj Mahal, na Índia.

A eleição das Novas Sete Maravilhas contabilizou mais de 100 milhões de votos pela Internet e telefone celular. Os dois países que mais se envolveram na campanha foram o Brasil e a Índia. No Brasil, a campanha foi bancada pelo grupo Bradesco e incluiu mensagens de várias personalidades da política, do futebol e dos espetáculos, incluindo o presidente.

A votação da escultura brasileira, icone da cidade carioca, foi maior que a da Ilha de Páscoa, no Chile, a Torre Eifel, em Paris, e Acrópole, na Grécia, entre outros monumentos da disputa pelo título.

Na avaliação do Ministério do Turismo, a eleição para as sete maravilhas pode gerar até 250 mil empregos no setor do turismo, para atender um possível aumento no fluxo de visitantes ao Brasil.

A votação das sete maravilhas foi uma idéia do milionário suíço Bernard Weber. Segundo a assessoria dele, em 1999 uma amiga professora dava aulas sobre as sete maravilhas da Antigüidade e comentou o fato com ele. No entanto, das sete maravilhas antigas, apenas as pirâmides de Gizé ainda existem.

As Sete Maravilhas do Mundo
– Pirâmides de Gizé
– Jardins Suspensos da Babilônia
– Estátua de Zeus
– Templo de Ártemis
– Mausoléu de Helicarnassus
– Colosso de Rodes
– Farol de Alexandria

As Novas Sete Maravilhas do Mundo
– Muralha da China
– Cidade de Petra (Jordânia)
– Cristo Redentor (Rio de Janeiro)
– Machu Picchu (Peru)
– Chichen Itzá (México)v – Coliseu (Itália)
– Taj Mahal (Índia)

História do Cristo

Daqui debaixo, parece até que o Cristo Redentor sempre esteve no topo do Corcovado, a 710 metros de altura, a olhar pela cidade. Difícil imaginar como a construção de 1.145 toneladas foi parar lá em cima. No início, a imagem tinha um forte significado religioso. Com o tempo, deixou de ser apenas a representação do Filho de Deus para se tornar o maior símbolo da cidade. Independentemente do credo, ele – com minúscula mesmo, por que não? – está entre nós. E agora, 76 anos depois – o monumento foi inaugurado em 12 outubro de 1931 – o Cristo é eleito, por voto popular, uma das novas Sete Maravilhas do Mundo.

A primeira vez que se falou em construir uma estátua no alto do morro foi em 1859. O padre Pierre Marie Boss escreveu: “Aqui está o pedestal único no mundo! Quando vem a estátua colossal, imagem de quem me fez?”. Apesar de pouco visitado pelos cariocas, o Cristo deve muito à população da cidade, que na década de 20 abraçou a campanha de doação promovida pela Arquidiocese. As paróquias arrecadaram os 2,4 mil contos de reis – aproximadamente R$ 6 milhões em valores atuais – consumidos na obra. O filme de Bel Noronha mostra imagens raras de um movimentado Centro da Cidade e crianças pedindo dinheiro.

O resultado foi o maior monumento art déco do mundo. Durante os cinco anos das obras, apesar das condições perigosas de trabalho, nenhum operário acidentou-se gravemente. Uma ventania chegou a derrubar todos os andaimes de madeira do alto do morro.

“A estrutura de apoio foi refeita com trilhos de bondes”, revela o engenheiro Maurício Brayner, autor de uma monografia de conclusão de curso na Fundação Getúlio Vargas sobre o projeto do engenheiro Heitor da Silva Costa.

Heitor contou com a colaboração do pintor Carlos Oswald e do escultor francês Paul Landowski para chegar ao desenho final. Chegaram a pensar num Cristo segurando uma cruz e um globo terrestre, que ganhou o apelido de Cristo da Bola e foi reprovado. A forma de braços abertos foi inspirada numa antena que existia no alto do morro para fazer as conexões telefônicas com os Estados Unidos. Foram construídas duas maquetes que sumiram. Restou o pedaço de uma delas, que está na sede administrativa da Arquidiocese, na Glória.

Da terra de Gustav Eifeil, autor de outro dos concorrentes à nova maravilha do mundo, só vieram os moldes em gesso da cabeça e das mãos. A estrutura em concreto armado, uma novidade para a época, foi toda feita no alto da encosta. Subiram de trem sacos e mais sacos de areia, cimento, vigas de ferro e o revestimento de pedra-sabão.

“Não é a mesma coisa que construir um prédio na Barra da Tijuca”, compara Maurício.

“Eles trabalharam in loco, tinham funcionários que dormiam na obra e precisavam se alimentar, levaram água lá para cima para fazer o concreto e deu certo”.

Tão certo que logo foi abraçado pelos cariocas.

Candidatos a Novas Sete Maravilhas
Veja aqui a lista completa de concorrentes e os monumentos que o Cristo Redentor desbancou.

– Acrópolis, Grécia
– Alhambra, Espanha
– Castelo Neuschwanstein, Alemanha
– Coliseu, Itália
– Cristo Redentor, Brasil
– Estátua da Liberdade, EUA
– Estátuas da Ilha de Páscoa, Chile
– Grande Muralha, China
– Igreja de Santa Sofia, Turquia
– Kremlin, Rússia
– Machu Pichu, Peru
– Ópera de Sydney, Austrália
– Palácio de Petra, Jordânia
– Stonehenge, Grã-Bretanha
– Taj Mahal, Índia
– Templo de Angkor, Camboja
– Templo de Kiyomizu, Japão
– Templo Maia, México
– Torre Eiffel, França
– Timbuktu, Mali

As Sete Maravilhas de Portugal

O anúncio do resultado da votação das sete maravilhas foi numa cerimônia gigantesca. Realizada no Estádio da Luz, sede do Benfica, teve 40 mil bilhetes vendido, e até o Presidente da República de Portugal, Aníbal Cavaco Silva, esteve presente.

A superprodução teve mais de 2 mil participantes e custou 12 milhões de euros. Os monumentos escolhidos foram anunciados entre apresentações do soprano José Carreras e da cantora Jennifer Lopez – que teria cobrado US$ 1,5 milhão para cantar duas canções, segundo o semanário português Sol.

A cerimônia contou também com a presença do ex-secretário-geral das Nações Unidas Koffi Annan e dos atores Ben Kingsley e Hillary Swank.

Na mesma cerimônia, foram apresentadas as sete maravilhas de Portugal. São elas:

– Mosteiro dos Jerônimos
– Torre de Belém
– Palácio da Pena
– Mosteiro da Batalha
– Castelo de Óbidos
– Mosteiro de Alcobaça
– Castelo de Guimarães

 

    Author: Redação

    Share This Post On