Romance de Luiz Manfredini revela utopia na selva paranaense

capa_webok100541

O escritor paranaense Luiz Manfredini lança, nesta quarta-feira,(14), no Palacete dos Leões, o espaço cultural do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), em Curitiba, o romance histórico Retrato no Entardecer de Agosto, com incentivo do Grupo Positivo.

 

A história é baseada na experiência colonizadora do médico francês Jean Maurice Faivre que, entre 1847 e 1858, nas margens do rio Ivaí, sertão paranaense, constituiu a Colônia Thereza, uma das duas únicas tentativas de aplicar no Brasil o ideário utópico do também francês Charles Fourier, bastante difundido nas primeiras décadas do século XIX na França.

 

manfrediniLuiz Manfredini, veterano jornalista, é também autor, entre outros livros, dos romances As moças de Minas e Memória de Neblina. É colunista do Portal Vermelho e membro do conselho editorial da revista Princípios, editada em São Paulo. Escreve para o Portal Brasil Cultura.

 

Sem escravidão

 

Vinte e três anos após chegar ao Brasil e trabalhar como médico na Corte, Faivre empenhou todos seus bens para trazer da França os 63 integrantes da colônia que organizava, pagando-lhes todas as dívidas na França, distribuindo-lhe gratuitamente lotes de terra e bancando seus primeiros anos no Brasil. As despesas do trabalho e da vida social eram divididas e, igualmente, os lucros. Ali se proibiu a escravidão, décadas antes de sua abolição o Brasil.

 

Segundo o poeta Hamilton Faria, que apresenta o romance, a Colônia Thereza foi “uma experiência ímpar que negava a escravidão, o lucro, os malefícios do dinheiro e as misérias morais e materiais do capitalismo – e propunha um ideal de vida cooperativa”. Mas no último dia de agosto de 1858, Faivre morreu tragado por febre traiçoeira sem ver realizados seus sonhos.

 

aaaahamiltonO poeta acrescenta: “Com linguagem expressiva e riqueza de palavras, características incomuns em grande parte dos autores contemporâneos, Luiz Manfredini viaja neste romance histórico pela utopia do Dr. Faivre e pela ancestralidade do nosso tempo”.

 

 

 

Serviço:

Dia: 14 de setembro de 2016

Hora: Das 19 às 22 horas

Local: Palacete dos Leões – Avenida João Gualberto, 530

    Author: Braisil Cultura

    Share This Post On

    Enviar um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *