Projeto Terceira Metade

terceira-metade-conviteAs identidades e diferenças entre o Brasil, a África lusófona e Portugal, na arte e na cultura, estão em cartaz até 17 de abril, no Museu de Arte Moderna (MAM) do Rio de Janeiro. O projeto Terceira Metade reúne exposições, mostra de cinema, seminário, lançamento de um livro e de um site, numa iniciativa que conta com o apoio do Ministério da Cultura.

 

De acordo com Marta Mestre, uma das curadoras do Terceira Metade, o projeto parte da ideia de olhar para três geografias que sempre estiveram unidas, não só por sua história, mas pela língua e, mais que isso, por um diálogo em comum. “Além da cultura baseada na língua portuguesa, também compartilhamos imagens, patrimônios simbólicos, políticas culturais, profissionais de cultura que circulam de um lado para o outro”. Ela explicou que ideia de uma “terceira metade”, que dá nome ao projeto, remete à ideia de “um lugar alternativo para a cultura, à margem do olhar ocidental, europeu”.

 

Um dos destaques da programação é a mostra que reúne trabalhos da artista brasileira Tatiana Blass, do português Manuel Caeiro e do angolano Yonamine. Eles criaram obras – pinturas, instalações e vídeos – especialmente para a exposição, mas que interagem com a arquitetura modernista do MAM.

 

O Terceira Metade também terá um espaço dedicado a uma exposição de obras de fotógrafos africanos que fazem parte do acervo do colecionador Gilberto Chateaubriand. Ainda dentro do projeto, será promovido, nos dias 29 e 30 de março, um seminário sobre as relações e as formas de representação da cultura no eixo Brasil, África e Europa. O evento vai reunir curadores de arte, pesquisadores, economistas, antropólogos e escritores.

A programação completa do projeto está disponível nos sites www.terceirametade.com.br e www.mamrio.com.br

Author: Redação

Share This Post On

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *