Ouça “História Hoje” 24/11: Comitê nos EUA investigou artistas acusados de pró-comunismo

 

marcatismo

Há quase 70 anos foi instituída a primeira “Lista Negra” da indústria do cinema americano. A “Ameaça Vermelha” dos anos 1940 e 1950 tomou conta dos Estados Unidos, pôs fim as carreiras de muitos profissionais da sétima arte. Um dos vários episódios de perseguições políticas, principalmente em Hollywood, o maior foco das acusações.

Apresentação Dilson Santa Fé

ANTES DE OUVIR O ÁUDIO DESLIGUE O SOM DA RÁDIO BRASIL CULTURA NO TOPO DA PAGINA

Na América do pós-guerra, cresceram a desconfiança e o ódio ao comunismo. Em Washington, um comitê do Congresso iniciou uma investigação a respeito da influência comunista numa das mais glamorosas comunidades do mundo: Hollywood. A Guerra Fria acirrou os ânimos entre as duas superpotências – os Estados Unidos e a União Soviética.

 

Na primeira lista, um grupo de roteiristas e diretores suspeitos de fazer propaganda pró-comunista nos filmes que participavam, se recusaram a prestar depoimento ao Comitê de Atividades Antiamericanas. Dos onze convocados, apenas Bertold Brecht, então emigrado nos Estados Unidos, foi o único a responder às questões. Os outros dez invocaram a 1ª Emenda da Constituição americana, que concede direito à liberdade de expressão e associação e ficaram em silêncio.

 

Foram interrogados muitos artistas famosos. As perguntas eram diretas. Cada um precisava responder se era comunista; se já havia sido membro do Partido Comunista; se conhecia alguém em Hollywood que tivesse simpatia ou pertencia ao Partido Comunista.

 

Algumas testemunhas passaram ao comitê nomes de colegas suspeitos de serem comunistas ou simpatizantes, além disso denunciaram a influência comunista na indústria cinematográfica. Mas um outro grupo de foi menos cooperativo e por causa das críticas às audiências, consideradas ilegais por violarem a Constituição norte-americana, o grupo acabou preso acusado de desacato ao Congresso dos Estados Unidos.

 

O princípio do fim da “lista negra” foi em 1960, quando Dalton Trumbo, um alegado comunista que teve o seu nome incluído na primeira “lista negra”, foi reconhecido publicamente como o roteirista do filme Spartacus e Exodus. Apesar disso, várias pessoas da lista continuaram impedidas de trabalhar em suas áreas por muitos anos.

 

História Hoje: Programete sobre fatos históricos relacionados às datas do calendário. Vai ao ar pela Rádio Brasil Cultura de segunda a sexta-feira.

 

    Author: Claudio Ribeiro

    Share This Post On

    Enviar um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *