Mangueira terá verso contra onda de conservadorismo

arton18801-2635d

Samba enredo da escola Mangueira terá crítica direta a politica nacional e a decisão de Marcelo Crivella (PRP – RJ) em cortar pela metade a subvenção direcionada às escolas de samba para o carnaval do Rio de Janeiro, o Grêmio Recreativo Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira terá um samba enredo irônico no ano de 2018.

A decisão de troca do trecho do samba recém-eleito foi tomada e, levanta o questionamento direto as atitudes recentes do governante em relação à festa. Confira como ficou:

Eu sou Mangueira meu senhor, não me leve a mal Pecado é não brincar o Carnaval!

Eu sou Mangueira meu senhor, sou Universal
Pecado é não brincar o Carnaval!

Segundo Crivella, este corte orçamentário está vinculado com o aumento de verba para as creches da cidade, mas sabemos que pontos principais de gasto de verba pública serão intocados. Para o prefeito, que é bispo licenciado da Igreja Universal, o conservadorismo é algo latente já que também já noticiou a decisão de que a prefeitura não apoiará a parada LGBT da cidade, sendo que esta é a segunda maior do país.

Este corte orçamentário na maior festa do país, juntamente com o da parada LGBT, a censura da exposição Queermuseu, faz parte dos ataques ideológicos que não só Crivella, mas também Michel Temer, no âmbito federal – com o projeto de projeto de escola sem partido e a cura gay – vem fazendo a classe trabalhadora. Como séculos atrás, as ideologias religiosas perpassam as decisões políticas para impedir a livre expressão da maioria.

Confira a íntegra samba enredo da escola Mangueira

 

O ano era de 1943. Enfrentando um regime ditatorial, o Brasil acabará de declarar guerra aos países do Eixo (Alemanha, Itália e Japão). O ingresso na guerra modificaria o hábito dos autores das marchinhas de carnaval. Sem poder manejar a sátira política que continuava na mais absoluta clandestinidade, os compositores populares focaram suas composições nos motivos líricos e aos temas folclóricos.
De acordo com a imprensa da época, o carnaval de 1944 estava ameaçado devido à tristeza e, sobretudo à crise financeira que o país passava. Começou aí uma campanha para que os compositores fizessem músicas e não deixassem passar em branco a maior festa popular do Brasil. Deste pedido, nasceu a marchinha “Eu brinco”, de Pedro Caetano e Claudionor Cruz.
A marcha teve gravação de Francisco Alves e resultou num grande sucesso para o carnaval daquele ano. A letra não deixa dúvida sobre o sentimento na época.

Pedro Caetano e Claudionor Cruz – ‘Eu brinco’ -1943

Com pandeiro ou sem pandeiro,
Ê, ê, ê, ê, eu brinco,
Com dinheiro ou sem dinheiro,
Ê, ê, ê, ê, eu brinco.
(bis)
No céu a lua caminha,
Tão triste, sozinha,
Pra não ser triste também,
Com pandeiro ou sem pandeiro, meu amor eu brinco.
Tudo se acaba na vida,
Morena querida,
Si o meu dinheiro acabar,
Com dinheiro ou sem dinheiro, meu amor eu brinco

Author: Brasil Cultura

Share This Post On

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × cinco =