Acordo inclui cultura afro-brasileira na grade escolar

A Secretaria de Políticas para Mulheres e Promoção da Igualdade Racial (Semira) e o Conselho Estadual de Educação assinam hoje um termo de cooperação para a oferta de aulas de História e Cultura Afro-Brasileira nas escolas do Estado. O ensino dessa disciplina atende à lei federal 10.639 de março de 2003. O mesmo documento é uma forma de assegurar ações para o enfrentamento ao tráfico de pessoas e o combate à homofobia nas escolas do Estado. A assinatura do acordo acontece às 10h30, na nova sede do conselho, que fica no Palácio de Prata, no Setor Oeste, em Goiânia.

Segundo a superintendente da Igualdade Racial da Semira, Raimunda Gomes, “como vivemos num País com um profundo racismo institucional, essa aulas são importantes sobretudo para a cidadania e autoestima dos descendentes dos negros. Com essas aulas esperamos que seja mais um passo para romper o racismo e quebrar o paradigma de que vivemos numa democracia racional, o que não é verdadeiro” explica.

Ainda de acordo com Raimunda Gomes, a oferta das aulas de História e Cultura Afro-Brasileira não demanda custos, basta apenas que professores incluam lições sobre a cultura negra desde a educação infantil nas aulas de literatura, música, artes, gastronomia e até na educação física, com aulas de capoeira. “A essência da nossa cultura é africana, mas isso não é falado e quando vão ensinar nas escolas só se ensinam que os negros eram escravos, e a isso ninguém quer se vincular e nem se admira”, justifica a superintendente.

Mais informações: (62) 3201-5347

Author: Redação

Share This Post On

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *