Secretário refuta cópia do modelo inglês

 

 

 

 

 


 

Ao contrário do ministro Hélio Costa, o secretário do Audiovisual do Ministério da Cultura, Orlando Senna, refuta a idéia de fazer da nova televisão pública nacional uma BBC. “Modelos como o britânico e o americano devem servir apenas como referenciais. A partir disso, só tem sentido criar algo novo.”

Segundo Senna, a necessidade de reformular o modelo de TV pública nacional tem a ver com a “revolução tecnológica”. “Até a própria BBC precisa se repensar. Se formos ver, ela está com um conceito de 40 atrás. É uma pendência geral.”

Por isso, o secretário sustenta que há certa urgência em “refundar” a TV pública nacional. “Não se trata de desprezar o que temos, mas de reaproveitar isso para adequar a TV ao cenário que começa a aparecer.” O governo parece concordar com essa “urgência”. Em reunião esta semana com os representantes dos ministérios relacionados à criação da TV pública, o presidente Lula definiu o prazo para apresentação do anteprojeto da TV: 90 dias.

Quanto ao modelo, Senna se limita a palpitar: “É cedo, mas acho que a TV pública deve ter financiamento do governo e da iniciativa privada, que já está de olho.”
16.04.07

    Author: Redação

    Share This Post On