Rede varejista adere à campanha contra baixaria na TV

A rede de lojas Casas Bahia se alia a Campanha Quem Financia a Baixaria é Contra a Cidadania e garante que não irá mais veicular comerciais nos “programas que violem o ser humano por meio de cenas de violência, racismo, atentado ao pudor, exploração de homossexuais e outros tipos de discriminações”. A informação é dos diretores de marketing das Casas Bahia, Allan Barros e Dilson Gonçalves.

Segundo a assessoria da campanha contra a baixaria na TV, os anúncios da empresa devem ser retirados gradativamente da programação. “Ter as Casas Bahia como parceira é uma grande vitória já que ela é considerada a empresa que mais anuncia em todo o país”, comemora o deputado Orlando Fantazzini, coordenador da Campanha.

Outras empresas como a Kaiser e a Fiat já haviam aderido à campanha contra a baixaria em setembro do ano passado, quando a Associação Brasileira de Anunciantes (ABA) também demonstrou apoio.

Durante o 5º Fórum Social Mundial, a Campanha Nacional contra a Baixaria na TV aproveitou para divulgar pela primeira vez o ranking das empresas que anunciam em programas que não protegem os direitos humanos e a cidadania.

O ranking aponta o anunciante ao lado do programa mais votado entre os meses de novembro de 2003 e janeiro de 2005. O coordenador da campanha, deputado Orlando Fantazzini (PT-SP), decidiu divulgar o nome dos anunciantes depois de fracassadas tentativas de negociação com as empresas patrocinadoras para que retirassem os anúncios dos programas apontados como promotores da baixaria na TV.

Os sabonetes Albany – principal anunciante da novela Senhora do Destino, da TV Globo -, ficaram em primeiro lugar no ranking como a empresa que financia a baixaria na televisão brasileira. A novela totalizou 20,7% das mais 16 mil denúncias recebidas pela campanha.

Em segundo lugar no ranking, as lojas Marabrás – anunciantes do programa João Kleber, da Rede TV – receberam 16% das denúncias. “A loja havia assumido o compromisso de não mais anunciar em programas que promovem a baixaria na TV, mas não cumpriu a promessa”, denunciou Fantazzini à época.

   Leia mais sobre Cultura da Violência …

 http://www.brasilcultura.com.br/conteudo.php?menu=90&id=286&sub=298

    Author: Redação

    Share This Post On