Recuperados 70 anos da Rádio Tupi

A data exata já passou: foi no dia 25 de setembro de 1935 que foi inaugurada a Rádio Tupi, então o maior empreendimento dos Diários e Emissoras Associados. Entretanto, as comemorações pelos 70 anos ganham fôlego a partir de hoje, quando o Copacabana Palace será ocupado por um jantar comemorativo com direito a shows de Leny Andrade e Orquestra Tabajara, além de uma exposição de 12 painéis com 50 fotos do acervo.

E as comemorações não param por aí. Criado, inicialmente, para reunir material para as celebrações do 70 aniversário, o Centro de Documentação da Rádio Tupi está reunindo e catalogando o acervo da emissora. O trabalho vai levar dois anos. O primeiro passo foi fazer um levantamento do que havia na rádio, seja em fita de rolo ou em cartucho e ver o que ainda estava faltando, já que parte do acervo foi perdido em dois incêndios. Na tentativa de reunir o material, já se começou a aquisição de acervos particulares.

— Já compramos todo o acervo que nos faltava dos anos 40 e 50 — anuncia Larissa Werneck, diretora do Centro de Documentação. — Neste pacote, o programa especial Audições do Trio de Ouro, formado na época por Herivelto Martins, Dalva de Oliveira e Nilo Chagas, e programa Ary Barroso — 15 anos de Tupi, onde os grandes cantores da época como Ataulfo Alves, Linda Batista, Dorival Caymmi, Aracy de Almeida e Lúcio Alves, se apresentaram com números musicais memoráveis em homenagem a Ary.

Público e pesquisadores terão acesso a acervo
A idéia é, no fim da recuperação e catalogação, tornar o acervo disponível ao público e aos pesquisadores. É um acervo precioso. Há registros, por exemplo, do que se passou por anos dentro do chamado “Maracanã dos auditórios”, um espaço, que, inaugurado na Copa do Mundo de 1950, era o maior estúdio de rádio da América Latina. Nele, cerca de 1.500 pessoas podiam assistir à transmissão de programas como “Incrível, fantástico, extraordinário”, “Pessoal da Velha Guarda”, “Viva o samba” e “Calouros em desfile”, apresentado por Ary Barroso.

— Artistas como Aracy de Almeida e Dorival Caymmi faziam parte do cast, daí as gravações serem tão importantes e inéditas — diz Larissa.

Também há no acervo registros do rádio-teatro, criado nos anos 40. Dele, faziam parte atores como Paulo Gracindo, Ioná Magalhães, Heloísa Helena, Ida Gomes, Chico Anysio.

O Centro de Documentação tem realizado também entrevistas com ex-funcionários e personalidades da época de ouro do rádio. E, em parceria com o “Jornal do Commercio”, deu início ao trabalho com o seu acervo fotográfico. Das 200 fotos já digitalizadas, cerca de 50 foram utilizadas na exposição do Copacabana Palace, que foi dividida em sete temas.

— Todo este trabalho é importante para recuperar a história da Rádio Tupi e a história do rádio — diz Larissa.

 

    Author: Redação

    Share This Post On