Porto Alegre Retrata o Melhor do Teatro

 

 

 

 

 

 

 

 

Vem aí uma edição de excepcional qualidade do 12º Porto Alegre em Cena (POA), o festival internacional de artes cênicas da capital gaúcha. Pelo menos essa é a expectativa de quem confere a programação planejada para tomar conta da cidade entre os dias 9 e 25 de setembro: mais de 40 espetáculos de países como Alemanha, Itália, Inglaterra, Chile, Argentina Colômbia e Uruguai.

 

Entre as atrações internacionais, destacam-se a montagem de Dias Felizes, de Samuel Beckett, dirigida pelo inglês Peter Brook, e a leitura autoral de Um Bonde Chamado Desejo, de Tennessee Williams, assinada por Frank Castorf, com a companhia alemã Volksbühne. Outro grande trunfo será a presença da atriz Norma Aleandro, protagonista da peça Senhorita de Tacna, de Mario Vargas Lhosa. A programação brasileira não fica atrás no que diz respeito à qualidade e nela se destacam os diretores José Celso Martinez Corrêa, que mostra em Porto Alegre os cinco espetáculos da transposição cênica de Os Sertões, e Márcio Aurélio, que leva três montagens por ele dirigidas: Agreste, texto premiado de Newton Moreno, Pólvora e Poesia, de Alcides Nogueira, e ainda Desassossego, o belíssimo solo da atriz Marilena Ansaldi.

 

Bom, pelo menos isso é o que planejou Luciano Alabarse, diretor teatral que, depois de dois anos de afastamento, volta a assumir a direção do evento nesta sua 12ª edição. Com orçamento de R$ 2 milhões, ele ainda não conseguiu patrocinadores para sustentar uma programação dessa envergadura. “Não estamos num cenário desolador”, diz Alabarse. “Já temos um excelente patrocinador, a rede de supermercados Sonae, e apoios da Petrobrás e Caixa Econômica. Temos ainda uma verba da Funarte, que não é substancial, mas é sempre bem-vinda.” Mas faltam ainda R$ 800 mil para fechar o orçamento. Só para comparar, em sua 6ª edição, o Festival Internacional de Teatro Chekhov, que levou a Moscou cinco espetáculos brasileiros em julho, custou cerca de R$ 19 milhões. “Para ver como a gente sabe trabalhar”, comenta Alabarse. “Podemos reduzir custos graças ao apoio de restaurantes e da rede hoteleira de Porto Alegre.”

 

É torcer para que não haja cortes na grade. Afinal, além dos destaques da programação, chama a atenção a imensa quantidade de espetáculos que prometem qualidade. Entre eles, desperta curiosidade Eletronic City, montagem chilena que explora a relação do homem com a tecnologia, por meio da trágica solidariedade entre uma mulher que trabalha num caixa, e não sabe lidar com a leitora a laser, e um empresário, superconectado, que fica preso num elevador muito moderno e tem dificuldade de encontrar um ser humano para pedir ajuda. Outra curiosidade fica por conta da italiana Emma Dante. “Ela vem sendo considerada a grande revelação européia na direção.” Os interessados em apoiar o 12º POA podem fazer contato por meio do tel (51) 3235-2995.

 

 

 

 

 

 

    Author: Redação

    Share This Post On