Novela America – Rita Lee contra Rodeios

 

 

 

 

Aos senhores promotores de rodeios e vaquejadas 

Como brasileira e caipira de coração gostaria muito de observar certas “modernidades” que já há um certo tempo ocorrem e fazem entristecer profundamente minha alma. Estou me referindo mais precisamente sobre o quanto estes eventos como rodeios e vaquejadas se transformaram em indústrias de importação, colaborando somente para que nossas verdadeiras festas caipiras perdessem seus originais valores dentro do já tão enfraquecido folclore brasileiro.

 

Hoje o que se vê é uma macaquice de cowboys americanos praticamente instalada como se pertencesse ao espírito pacífico do nosso genuíno caipira. No meu tempo o peão era um rapaz forte e honesto que trabalhava no adestramento correto de um animal, hoje é apenas uma pessoa manipulada por uma cultura estrangeira responsável por despertar-lhe o sórdido prazer de abusar impunemente de animais. Ora, isto não é nem nunca será considerado um esporte nobre, nem nos Estados Unidos acontece isto. O que mais me preocupa é a total falta de consciência humanitária dentro dos rodeios e vaquejadas sobre a dor que é causada aos animais com o uso do “sedém” e outros artifícios ainda mais cruéis para que os bichos “pulem bonito” e o peão seja considerado um herói nacional.

 

 

Há séculos nossas festas caipiras nunca precisaram importar lixos culturais para existirem, por que então esses eventos partiram para tamanha falta de respeito e exemplo de má educação para com nossas crianças e todo o povo brasileiro? Na minha percepção vejo que se trata de uma ganância pelos milhões de dólares que movimentam esta indústria estrangeira, aliás completamente fora dos conceitos básicos éticos que imaginamos como sendo os ideais para o próximo milênio. O Brasil é um país festeiro, sabemos promover as melhores alegrias do planeta e realmente não temos necessidade de incentivar esta “americanização” de caipiras que agora, infelizmente, se auto-intitulam “country”. Nem o futebol nem o roquenrou chegaram ao Brasil e destruíram nossa personalidade, ao contrário, se adaptaram totalmente ao traquejo brasileiro e mostraram ao mundo inteiro que aqui no Brasil quem dá as cartas somos nós.

 

Rodeios e vaquejadas abrem as pernas e se deixam influenciar descaradamente pela ditadura da cultura americana, parece que fomos lobotomizados mesmo desta vez! Peço pois a todos os organizadores de rodeios e vaquejadas que reflitam profundamente e se perguntem se vale a pena jogar na lama toda uma cultura genuinamente caipira e entregar nosso ouro ao bandido.

 

Muito mais corajoso e patriótico seria tomar a atitude de suprir dos rodeios e vaquejadas a parte onde os animais são torturados publicamente, demonstrando assim que o Brasil se recusa a adotar práticas da Idade Média. Vamos dar para o mundo este exemplo de consciência planetária e ao invés de judiar dos bichos seguir o que dita nosso coração caipira: Deus criou os animais não para servir ao homem mas para caminhar junto dele! Que a luz divina ilumine suas decisões.

 

Um grande abraço,

 

Rita Lee

 

 

 

 

 

 

 

    Author: Redação

    Share This Post On