INVERNO – Um Festival Aberto

 

 

 

A programação do 37.º Festival de Inverno da UFMG será oficialmente aberta neste domingo, às 18 horas, em Diamantina, com a apresentação do Coral Eny Assumpção Baracho, do Conservatório Estadual de Música Lobo de Mesquita, e do grupo Música Figurata Minas Gerais, de Belo Horizonte. Juntos, eles homenageiam o compositor José Joaquim Emerico Lobo de Mesquita, num concerto realizado no Teatro do Instituto Casa da Glória.

 

Durante o dia, a performance Intervenções Quase Espetaculares, com o grupo A Terceira Margem (Cícero Silva, Cristiano Pena e Thiago Araújo) ocupará as ruas do Centro Histórico. Às 21 horas, haverá recital de violão com o professor e violonista José Lucena Vaz, na Capela Imperial de Nossa Senhora do Amparo, e às 22 horas, acontece uma Vesperata na rua da Quitanda.

 

Antes da Vesperata, a noite será incrementada com uma polifonia de imagens em fotografia e vídeo numa homenagem ao diamantinense adotivo, Sabah. Sem identidade conhecida, Sabah, que morreu no dia 1.º deste mês, era uma figura peculiar da cidade, morador de rua que chamava a atenção pelas roupas e adereços estranhos, sua inteligência e bom humor. Cantava músicas do Rei Roberto Carlos, de quem se dizia amigo e presidente de seu fã-clube, e contava casos sobre sua história, numa mistura de ficção e realidade.

 

Este ano, a idéia do festival, que vai até 30 de julho, é proporcionar o encontro entre as artes e as experiências científicas, sob o paradigma dos Diálogos Possíveis, tema desta edição. As artes cênicas, música, dança, artes plásticas, literatura e artes visuais buscarão formas de se entrelaçar com a física, química, matemática e as ciências da comunicação, numa grande iniciativa de transdisciplinaridade, abrindo novas possibilidades para a construção do pensamento.

 

Pensando nisso, um dos destaques da programação é a oficina Artista em Residência: Uma Experiência Transdisciplinar, coordenada pelo videomaker Éder Santos, que integra as atividades da área de Projetos Especiais. A oficina pretende reunir 30 artistas que participarão de um projeto interativo, provavelmente uma releitura do tradicional espetáculo da Vesperata diamantinense.

 

Promover oficinas, criar mecanismos de interlocução das diversas áreas do conhecimento e abrir fronteiras entre mundos aparentemente inconciliáveis são nossas prioridades. Nossa palavra de ordem é ousar, porque esse é o mais fértil dos terrenos para o florescimento da criação e do saber , afirma o coordenador-geral, Fabrício Fernandino.

 

Outra atração é o curso Astronomia Teoria e Prática, ministrado pelo astrofísico Renato Las Casas, professor do Departamento de Física da UFMG e coordenador do Observatório Astronômico Frei Rosário, da Serra da Piedade. O curso, que abordará a estrutura do sistema solar como o Sol, planetas, satélites, cometas, asteróides, será realizado entre os dias 18 a 29 de julho, como um dos projetos especiais do festival.

LIVRO DE ARTE

Além dos cursos e oficinas, um outro projeto integra a programação, numa proposta desafiadora. Um grupo de artistas plásticos foi especialmente convidado para desenvolver durante as duas semanas do evento Um Olhar Sobre Diamantina. O desafio é traduzir Diamantina a partir de técnicas de artes plásticas, produzindo obras de arte que retratem a cidade. Os trabalhos produzidos durante o festival vão integrar um livro de arte, que posteriormente será editado pela UFMG.

 

Diamantina é uma cidade de intensa tradição musical. Seja por pessoas como Lobo Mesquita ou pelas serestas e vesperatas. Nós estamos aproximando as artes plásticas de uma dinâmica que já é comum no campo da música e da literatura , afirma o filósofo e professor da Fafich da UFMG, que será responsável pelo texto de abertura do livro.

 

As 40 oficinas oferecidas em cinco áreas de atuação distintas além das atividades dos Projetos Especiais, serão coordenadas separadamente. Rafael Conde ficará por conta das oficinas de Artes Audiovisuais; Fernando Mencarelli será responsável pelas Artes Cênicas; Eugênio Pacelli ficará com as Artes Plásticas; Maria Antonieta Pereira tomará conta das oficinas de Literatura e Cultura; e Mauro Rodrigues coordenará a área de Música.

 

O resultado da seleção da segunda chamada dos candidatos escolhidos para as oficinas que exigem pré-requisito. A lista está disponível no site da Fundep (www.fundep.ufmg.br), que também traz a programação e outras informações sobre o evento.

 

    Author: Redação

    Share This Post On