Folia do DF com patrocínio

Montadora de veículos garante R$ 100 mil à festa

 

O governo do DF divulgou ontem os números do carnaval 2005. Em entrevista coletiva, os secretários da Cultura, Saúde, Comunicação e Segurança explicaram as medidas que serão tomadas para garantir a tranquilidade dos foliões do Distrito Federal.

Depois de tanto dizer que as escolas de samba do DF deveriam ser menos dependentes de verbas públicas, o secretário da Cultura, Pedro Borio, anunciou o recebimento do primeiro patrocínio privado da história dos desfiles no DF: a fábrica de automóveis Fiat doou R$ 100 mil para as escolas de samba e blocos.

– Esse foi só o primeiro patrocínio. Estamos conversando com várias empresas e muitas delas têm demonstrado interesse em investir no nosso carnaval – explicou o secretário de Cultura.

Para que o patrocínio pudesse ser feito, o governo apresentou nesta semana um projeto que enquadrava as escolas de samba e os blocos do DF nos moldes da Lei Rouanet, a lei de incentivo à cultura, que permite aos investidores deduzir o valor total do patrocínio do imposto de renda.

– A aprovação do projeto foi feita em tempo recorde. Pela primeira vez o ministro Gilberto Gil [da Cultura]facilitou esse tipo de aprovação, para que o dinheiro pudesse estar nas mãos das escolas antes do carnaval – revelou Pedro Bório.

Outra boa notícia para as escolas de samba é que o governo liberou um dinheirinho extra para a premiação das vitoriosas do primeiro e segundo grupo: R$ 60 mil.

A premiação remunerada foi comemorada pelas escolas de samba.

-A premiação era uma reivindicação antiga nossa, já que desde 2003 não havia prêmio. A notícia deu ânimo novo para as escolas capricharem na finalização de carros alegóricos e fantasias – conta o presidente da Liga das Escolas de Samba, Paulo Roberto Silva.

No quesito saúde, a preocupação principal da secretaria é com a Aids.

– A nossa estratégia é aumentar o acesso das pessoas à informação e ao preservativo – explicou o secretário adjunto de saúde Mario Horta.

Para conscientizar os foliões , o governo lançou a campanha Sexo Frágil é sexo sem camisinha. Além da veiculação de anúncios nas emissoras de televisão e rádio, e também nos veículos impressos, serão distribuídos bonés, camisetas, panfletos, adesivos e cartazes que conscientizam para o uso de camisinhas.

Serão entregues também 100 mil preservativos nos locais de festa e outros 300 mil foram distribuídos aos centros de saúde.

A segurança para o carnaval foi reforçada. Segundo o secretário de segurança General Athos Costa de Faria, todo o efetivo das polícias militar e civil e do corpo de bombeiros estará trabalhando. Só na Ceilândia, serão mais de 800 profissionais em cada noite de desfile.

Além disso, as 287 viaturas novas entregues hoje pelo governador Joaquim Roriz em cerimônia na Ceilândia já serão usadas durante a festa.

– Aqueles que pensarem em transgredir a lei durante o carnaval podem ter certeza que sempre encontrarão um policial para impedi-los – alerta o secretário.

 

 

    Author: Redação

    Share This Post On