Documentário Ibero-americano

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A primeira edição do Programa de Fomento à Produção de Teledifusão do Documentário Ibero-americano (DOCTV IB) conta com um fundo constituído pelo Brasil (que disponibilizará US$ 600 mil), pela Venezuela (que oferecerá US$ 600 mil) e pela Argentina (responsável por US$ 200 mil) para custear 80% da produção dos projetos selecionados.

 

“É um fundo que possibilita a realização dessa primeira edição. Se ele vier a aumentar com a entrada de outros países, melhor ainda, pois nos dá mais folga. Com isso, também passa a existir uma reserva de fundo para a próxima edição”, disse o secretário do Audiovisual do Ministério da Cultura, Orlando Senna.

 

Segundo ele, México e Portugal também devem integrar o fundo. A partir de hoje até a próxima quinta-feira (26), Senna coordena a oficina de planejamento executivo do DocTV IB.

 

O encontro ocorre em Brasília, onde também estarão presentes representantes da Secretaria-executiva da Cinematografia Ibero-americana e das TVs Públicas (Seci) e dos 15 países que integram o projeto, a saber: Portugal, Brasil, Espanha, Argentina, Bolívia, México, Colômbia, Chile, Equador, Porto Rico, Peru, Venezuela, Uruguai, Costa Rica, Panamá e Cuba.

 

“O processo de produção e realização do DOCTV internacional obedece o mesmo desenho que utilizamos há três anos no Brasil, segundo o qual existem três momentos em que as empresas e pessoas envolvidas no programa se reúnem ao longo do processo”, explicou o secretário.

 

“Este é o primeiro entendimento, um conhecimento em maior profundidade, não só do programa e de sua realização, mas também dos seus conceitos. É o ponto de partida para começar os trabalhos de produção”, observou.

 

O DOCTV IB surgiu do sucesso alcançado nas duas primeiras edições do DOCTV Brasil, programa que tem por objetivo estimular a produção independente de documentários regionais por meio de financiamento governamental e promover a veiculação do material produzido em emissoras públicas de televisão.

 

Os projetos serão selecionados por meio de concursos, que serão lançados simultaneamente nos países em 1º de março. Cada um dos selecionados receberá US$ 100 mil, repassados em contratos de co-produção. Os documentários serão exibidos em todos os países participantes do programa.

    Author: Redação

    Share This Post On