Conferência da Igualdade Racial

 

 

O primeiro dia da Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial foi marcado por diversas manifestações culturais e religiosas na cerimônia de abertura. A organização do evento estima que cerca de 3 mil pessoas estiveram no Centro de Convenções Ulysses Guimarães. Os grupos étnicos, além de engajados com os debates, mostraram também um pouco de suas músicas, danças e crenças em Brasília.

 

Passaram pelo palco do centro de convenções as crianças guaranis de São Paulo, um grupo de música angolana do Paraná, outro de marabaixo (dança dos descendentes de escravos) do Amapá, além de judeus e palestinos. Um grupo de mães-de-santo quebrou o protocolo: entoou cânticos e deu benção ao presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva – que estava na platéia.

 

“Desejei força para ele. Pedi que não tenha medo, confie em Xangô (orixá guerreiro)”, conta, emocionada, a Beata de Iemanjá, 74 anos, do Rio de Janeiro. A mãe-de-santo Edelzuita de Lurdes, 71 anos, filha da Mãe Menininha do Gantois, também abençoou o presidente: “Desejei que ele tenha um bom ministério e siga com Oxalá”.

 

Aproveitando a presença das mães-de-santo, o coordenador nacional das Entidades Negras do Brasil, Gilberto Leal, anunciou que o movimento negro irá pedir ao governo punição para emissoras de televisão que transmitem mensagens preconceituosas sobre religiões de origem africana, ainda nesta semana.

 

A 1ª Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial acontece até sábado (2). Ela faz parte da programação do Ano Nacional da Promoção da Igualdade Racial (2005). Os debates e as propostas apontadas servirão para consolidar a Política Nacional de Promoção da Igualdade Racial.

    Author: Redação

    Share This Post On