Alegação Improcedente

 


 

O ministro da Cultura, Gilberto Gil, afirmou hoje (6) que a alegação de que seu ministério não dá atenção ao teatro é uma “falácia”. Segundo Gil, o teatro vem sendo atendido de forma “exemplar” pelo governo e o número de projetos teatrais favorecidos pela Lei Rouanet está em crescimento.

“Não procede a alegação de que há enterramento no atendimento do teatro pelo Ministério da Cultura, principalmente da Lei Roaunet”, disse, durante debate no Teatro de Arena Eugênio Kusnet, onde foram lançados dois prêmios da Fundação Nacional de Arte (Funarte): o de Dança Klauss Vianna e o de Teatro Myriam Muniz.

“Alguns dizem que o ministro não gosta de teatro. Lembro-me do deleite em que ficava por várias noites nesta sala. Primeiro, com Marília Pera, Guarnieri; depois, com Caetano e Tom Zé, quando éramos dirigidos por Augusto Boal, no Arena canta Bahia”, disse Gil.

Os programas lançados hoje vão premiar com mais de R$ 12 milhões 163 grupos de teatro e 69 de dança em todas as regiões do país. O prêmio, segundo o ministério, visa contribuir para o desenvolvimento das atividades de grupos de teatro adulto, teatro para a infância e juventude, teatro de bonecos, teatro de rua e de companhias de dança.

A seleção será realizada por uma comissão formada por oito membros – cinco de teatro e três de dança –, sob a coordenação do Centro de Artes Cênicas da Funarte. A entidade estabeleceu como critérios gerais para a premiação a excelência artística do projeto, a qualificação dos profissionais envolvidos, a diversidade cultural da produção e a diversidade regional.

    Author: Redação

    Share This Post On