Ações Culturais de Impacto Social

 

 

 

 

A organização sem fins lucrativos BrazilFoundation divulgou, esta semana, em solenidade na sede da Federação das Indústrias do Estado do Rio, no Centro, os 31 projetos brasileiros que serão beneficiados, este ano, com verbas de até US$ 10 mil (cerca de R$ 24 mil) cada. O conjunto engloba propostas nas áreas de cultura, educação, saúde, cidadania e direitos humanos, que serão financiadas com capital americano.

 

Criada para apoiar ações de desenvolvimento social em território verde-amarelo, a BrazilFoundation é um fundo captador de recursos vindos dos Estados Unidos. Os doadores, na sua grande maioria, são brasileiros ou descendentes que fizeram fortuna nos EUA e descontam o valor do apoio no Imposto de Renda.

 

Segundo a vice-presidente da entidade, Susane Worcman, foram privilegiados os projetos localizados longe das grandes cidades.

 

– Estamos aqui para ajudar e decidimos priorizar quem mais precisa. Perto das metrópoles existem outras formas de incentivos – explica a vice-presidente da BrazilFoundation.

 

No primeiro ano do processo seletivo, em 2002, apenas quatro propostas foram favorecidas. Em pouco tempo a fundação aumentou significativamente o número de beneficiados. Desta vez, foram recebidos mais de mil formulários de candidatura, entre setembro e dezembro de 2004. Na primeira triagem foram eliminados os que tivessem fins lucrativos, vínculo com alguma religião ou partido político ou cujo orçamento passasse do previsto pelo edital. Na segunda etapa, ainda com 500 propostas em mãos, especialistas de cada área analisaram o impacto social, a criatividade e o potencial transformador de cada plano.

 

Mesmo com critérios rígidos de seleção, mais de 50 projetos foram classificados, o que obrigou a entidade a destacar membros para visitar cada atividade. Durante dois meses, eles percorreram as cinco regiões do país. Foram selecionados projetos como o Estórias Fazendo História, em que jovens de Cordisburgo (MG) narram os escritos de Guimarães Rosa, também natural da cidade; a Orquestra de Cordas da Grota do Surucucu, que ensina música a crianças carentes de Niterói; e o Cri-Ação Gepeto, no Rio Grande do Sul, em que menores infratores aprendem a fazer brinquedos.

 

Ao todo, foram dez os estados beneficiados. Embora a maioria das iniciativas seja das regiões Sul e Sudeste, foram escolhidos projetos no Maranhão, na Bahia, no Piauí, no Ceará, em Pernambuco e no Acre – onde uma comunidade que vive próxima à floresta ganhará recursos para desenvolver o artesanato sem prejudicar o meio ambiente. O programa Design Solidário possibilita a confecção de brincos, colares e pulseiras de sementes e fibras pelos habitantes do local.

 

– Além de incentivar a criação de um estilo próprio, de um pensamento estético, nos preocupamos com o manejo de produtos florestais num modelo de uso sustentável – explica a engenheira florestal Nivia Marcondes, coordenadora do Design Solidário.

    Author: Redação

    Share This Post On