NOEL ROSA, O POETA DA VILA E SEUS AMORES.

noel-rosao-poeta-da-vaila-foto_Barbara_Campos02Um dos maiores e mais importantes artistas da história da música brasileira, o sambista, cantor, compositor – que também tocava bandolim e violão, o carioca Noel Rosa (nascido Noel Medeiros Rosa, 1910- 1937) tem sua vida contada no espetáculo Noel Rosa, O Poeta da Vila e Seus Amores, que estará novamente em cartaz a partir do dia 24 de março, quinta-feira, no Espaço Parlapatões.

 

Com texto de Plínio Marcos e direção de Dagoberto Feliz, a peça passeia pela história de Noel Rosa, traz diversas músicas de sua carreira e convida o público a entrar no clima dos botequins cariocas, ambientes favoritos do artista. Os fragmentos de sua história são narrados de forma não linear. Mulheres como a mãe de Noel, as damas que abalaram seu coração e suas intérpretes favoritas, Araci de Almeida e Marília Batista, protagonizam uma espécie de delírio, que recria o clima boêmio da Era do Rádio, dos grandes Carnavais e cabarés típicos dos arredores dos Arcos da Lapa.

 

Com público estimado em 3.000 pessoas desde a estreia, em abril de 2010, os dados históricos que compõem o espetáculo servem de apoio para falar de um Noel Rosa pessoa e não do mito musical. O roteiro da peça parte de texto originalmente escrito por Plínio Marcos. Contudo, para levar a peça por um caminho mais fantasioso, algumas cenas foram ambientadas em locais diferentes dos propostos pelo dramaturgo.

 

Integrado por atores e músicos, o espetáculo tem 90 minutos de duração e 11 pessoas no elenco. “Gosto de atores que cantem e músicos que representem. O trabalho acaba não ficando complexo quando essas diferenças de formação são consideradas só tecnicamente e não na encenação em si”, afirma o diretor Dagoberto Feliz.

 

Com foco especial em canções que marcaram a carreira do compositor e cronista brasileiro, a montagem busca um caminho de maior interação com o público. Pelo espaço cênico são espalhadas mesas e cadeiras, nas quais os espectadores são convidados a se acomodar e a degustar quitutes e bebidinhas. “O espetáculo pretende fazer com que o público se sinta quase que nos bares e locais em que Noel Rosa transitou, numa aproximação ‘fantástica’ do universo boêmio”, conta Dagoberto.

 

Nasce, então, um cenário de botequim ou cabaré, que envolve atores e público no mesmo universo de nomes como o radialista Casé e o sambista Wilson Batista – figuras que emolduram o Rio de Janeiro da década de 30. Com Wilson, inclusive, Noel foi protagonista de uma curiosa polêmica travada por meio de canções. Os dois compositores atacavam-se mutuamente em sambas agressivos e bem-humorados, que renderam bons frutos para a música brasileira, incluindo clássicos como Feitiço da Vila e Palpite Infeliz. Essas e outras histórias estão no espetáculo.

 

Ficha Técnica: Texto – Plínio Marcos.

Direção – Dagoberto Feliz. Assistência de Direção – José Eduardo Rennó.

Dramaturgismo/Seleção de Repertório – José Eduardo Rennó e Cristiano Tomiossi.

Elenco – Cristiano Tomiossi, Ana Gilli, Cibeli Bissoli, Gisela Millás, Katia Naiane, Lívia Camargo, Lucélia Sérgio, Joaz Campos,Tayrone Porto, J. Eduardo Rennó, Alexandre Moura, Klayber Varela e Miró Parma.

 

Noel Rosa, o Poeta da Vila

ESPAÇO PARLAPATÕES. (98 lugares). Praça Franklin Roosevelt, 158 – Centro. Info: 3258.4449.

Temporada: quintas e sextas, às 21h.

Ingressos: R$ 30,00 (quinta) e R$ 40,00 (sexta). Duração: 90 minutos.

Espetáculo recomendável para maiores de 14 anos. Até 29 de abril.

Aceita cartões de crédito e débito. Acesso para portadores de necessidades especiais. Estacionamento conveniado na Rua Nestor Pestana, 129. Bilheteria – De terça a domingo, das 16h às 22h. Ingressos por telefone – Ingresso Rápido – (11) 40031212 ou pelo site www.ingressorapido.com.br

    Author: Redação

    Share This Post On

    1 comentário

    1. 7qdu4b Really informative blog article.Thanks Again. Really Cool.

    Enviar um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *