Museu em Favela

 

 

 

Nesta segunda-feira, 8 de maio, às 10h, foi inaugurado o primeiro museu em favelas no Rio de Janeiro, o Museu da Maré, que contou com a presença do ministro Gilberto Gil.

“Quero agradecer a vocês essa oportunidade do Ministério vir aqui apresentar um pouquinho do seu trabalho. É muito pouco o que cada um pode contribuir. Mas, na soma da contribuição de todos, vai se fazendo, vai se avançando, vai se engrossando o mingau, vai se consolidando, vai se enchendo a panela, vai se dando consistência ao pirão”, discursou Gil.

A cerimônia teve apresentações de artistas da Maré, como, por exemplo, a Oficina de Percussão Marecatu, a Orquestra de Flautas da Maré, o grupo de Hip Hop da Comunidade da Maré, e o grupo Ipiranga de Pastinha de Capoeira. O ministro Gil se entusiasmou e improvisou uma música em ritmo de capoeira. (Escute o discurso completo e a música improvisada no áudio).

O MinC espera que o Museu da Maré atraia visitantes de todo o Rio, e não apenas das 16 comunidades do complexo de favelas. Trata-se do primeiro museu instalado numa favela brasileira, no qual se conta e valoriza a trajetória da ocupação da área e de seus moradores.

Há na exposição fotografias, maquetes e documentos que contam a história de seis aspectos da Maré: a água, o trabalho, o cotidiano, as brincadeiras, a festa e o medo. Os objetos, depoimentos e documentos expostos foram recolhidos entre os próprios habitantes da região. Atanásio Amorim, 75 anos, e que mora há 52 no local, declarou que “quando cheguei aqui não tinha nada, nem escola. Progredimos muito. Tenho orgulho de morar aqui”.

O diretor do Departamento de Museus e Centros Culturais do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), José Nascimento Júnior, disse que “optamos por lançar a programação da Semana Nacional de Museus 2006 aqui na Favela da Maré para que todos os museus do país prestem atenção nesta experiência. Vamos fazer mais de 1200 eventos com cerca de 400 instituições de todo o país”.

O secretário de Programas e Projetos Culturais do MinC, Célio Turino, afirmou “aqui está sendo construído um Brasil que brota da força do povo. E também um novo papel do servidor, que serve para o povo e não se serve do povo”.

Também estiveram presentes na solenidade, o representante do MinC no Rio de Janeiro, Adair Rocha, e Ricardo Henriques, do Ministério da Educação (MEC).

Após o evento, o ministro Gilberto Gil concedeu entrevista, quando declarou: “A idéia é ter essa Semana Nacional de Museus (de 15 a 21 de maio) onde a comunidade museal brasileira celebre sua existência. Possam fazer dessa semana também uma oportunidade para encontros, para avaliações, para seminários, para debates sobre problemas comuns, aproximação com a comunidade, com a sociedade, com a mídia, para lançar sua mensagem. A idéia é essa. E também comemorar, celebrar, porque na verdade são milhares e milhares de museus no Brasil todo. A Semana é para isso: para dar esse foco privilegiado na área dos museus”.

E explicou ainda, “nós triplicamos os recursos na área de museu nos últimos três anos. Saímos de 38, 40 milhões, em 2002, para cento e tantos milhões agora em 2006”.

Dentre as novidades o ministro destacou: “A maior novidade, e sobre a qual a gente está insistindo e se debruçando para conseguir manifestar mesmo, é a criação do Instituto Nacional de Museus, que está em avaliação agora no Ministério do Planejamento e na Casa Civil. Espero que dentre em pouco tenhamos o sinal verde pra gente criar mesmo o Instituto”. Segundo Gil, os museus não estarão mais ligados ao Iphan, “sairão dessa tutela do Iphan, terão sua própria instituição, como temos na França, na Inglaterra, países que o museu já ganhou um status mais importante na vida social. A gente está querendo ver se cumpre essa etapa”, finalizou o ministro. (Escute o áudio da entrevista)

O Museu da Maré estará aberto ao público a partir da próxima semana, das 10h às 17h, no seguinte endereço: Avenida Guilherme Maxwell, 26, Maré. Telefone: (21) 3868-6748. Entrada franca.

    Author: Redação

    Share This Post On