Espaço Adoniran Barbosa

 

Adoniran Barbosa

 

Ícone do samba paulista, Adoniran Barbosa tinha lá suas distrações quando não estava fazendo música, rádio ou cinema. Poucos sabem, por exemplo, que o sambista gostava de construir brinquedinhos, com as próprias mãos, e que tinha uma paixão incondicional pelo Corínthias. Essas e outras facetas do compositor de clássicos como Saudosa Maloca e Samba do Arnesto compõem o Espaço Adoniran Barbosa, que será inaugurado hoje, no Museu da Imagem e do Som (MIS).

A sala, montada especialmente para abrigar o acervo doado pela filha do compositor, reúne pequenas preciosidades, como seus objetos pessoais (a gravatinha borboleta, chapéu, sapatos), documentos diversos, a carteirinha de sócio do Corínthias, uma camisa do time autografada pelo ex-jogador Sócrates (que ficará pouco tempo em exposição, por conta de seu estado de conservação), os tais brinquedinhos que criava (locomotiva, bicicletinhas, carrossel), a bola usada na partida de futebol organizada em homenagem aos seus 70 anos, entre outras peças.

Para a abertura do espaço, haverá também uma exposição fotográfica permanente, com cerca de 30 a 40 imagens (que serão trocadas de tempos em tempos), além da exibição de entrevistas e filmes com o sambista. Segundo a curadora da mostra, Beatriz Augusta Cruz, os objetos em exposição nesse primeiro momento trazem uma amostra do que há no acervo como um todo. Segundo ela, dentre o material doado, os documentos eram o que precisavam passar por um processo de recuperação com mais urgência. “Fotografias, scripts de programas de rádio, tudo que estivesse em suporte de papel. Eles já estão sendo recuperados por profissionais do Arquivo do Estado”, comenta ela. Outra curiosidade é o roteiro do filme O Sertanejo, de Lima Barreto, que teria Adoniran no elenco, mas que acabou sendo cancelado no período em que a Vera Cruz estava em crise.

O acervo de Adoniran Barbosa chegou a ficar confinado no cofre da Secretaria de Estado do Turismo e depois fez uma rápida passagem pelo Teatro Sérgio Cardoso. “Pelas próprias características do MIS, ele possui ambiente mais adequado para abrigar esse acervo”, explica Silvia Antibas, diretora da Coordenadoria de Museus da Secretaria de Estado da Cultura. “O espaço vai contar a vida dele, como pessoa, compositor, ator, locutor de rádio.”

Segundo a curadora Beatriz, quando o material migrou para o museu, a preocupação da filha de Adoniran era de que o acervo fosse disponibilizado para a pesquisa. O que não vinha ocorrendo até então. “A idéia é ter um centro de documentação do Adoniran no MIS e ele se tornar um espaço de referência para estudiosos de música brasileira.”

(SERVIÇO)Espaço Adoniran Barbosa. MIS – Museu da Imagem e do Som. Av. Europa, 158,Jardim Europa, 3088-0896. 3.ª a dom., 12 h às 20 h. Grátis. Inauguração hoje, 20 h

    Author: Redação

    Share This Post On