Discos do Museu de Imagem e Som vão para o lixo

Discos antigos que pertenciam ao Museu de Imagem e Som (MIS) de Araraquara foram encontrados em um aterro sanitário da cidade. A Secretaria de Cultura alega que o material descartado está danificado, embora alguns estejam inteiros e aparentem bom estado de conservação.

Entre as peças de vinil e baquelite estavam exemplares intactos de gravações de Carlos Gardel, Doris Day, Francisco Alves, Maria Callas, Elvis Presley e raridades italianas de 1943.

Na terça-feira (1), dezenas de discos foram notados por moradores da cidade no estacionamento da Casa de Cultura. A explicação da instituição é que as peças estavam lá devido a uma dedetização realizada no MIS.

Dois dias depois, porém, o material foi descartado. A denúncia partiu de internautas e até mesmo de um funcionário da Secretaria de Cultura.

A reportagem foi ao aterro, onde encontrou os discos. Trabalhadores do local confirmaram que todo o material foi recolhido de dentro da Casa da Cultura.

Outro lado

A secretária de Cultura, Euzânia Andrade, disse que não sabe como o material, supostamente em bom estado, foi levado para o lixão. “O que foi descartado estava comprometido”, afirmou.

Virgínia Fratucci, gerente pedagógico-cultural dos museus de Araraquara, disse que diversos discos foram retirados do interior do MIS entre terça (1) e quarta-feira (2) para não atrapalhar a limpeza e que o material ficou em uma área externa da Casa da Cultura.

Ela afirma, porém, que os discos dispensados não poderiam ser reaproveitados. “Muita coisa não tinha condição de voltar para o MIS e isso foi jogado fora”.

Author: Redação

Share This Post On

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *