Nélida Piñon e Francisco Madia ganham o Prêmo Jabuti 2005

 


Nélida Piñon e Oswaldo Siciliano,
presidente da CBL

A Câmara Brasileira do Livro promoveu, dia 20 de setembro, no Memorial da América Latina, em São Paulo, a cerimônia de premiação do 47º Prêmio Jabuti, o mais tradicional e prestigiado prêmio literário do país. Vozes do Deserto (Editora Record), de Nélida Piñon, foi eleito o melhor livro do ano na categoria Ficção. 50 Mandamentos do Marketing (Editora M. Books), de Francisco Madia, foi eleito “Livro do Ano – Não-Ficção”.

Em Vozes do Deserto, Nélida Piñon revela a mulher oculta por trás do mito da mais famosa narradora da literatura oriental – Scherezade. A obra Os 50 Mandamentos do Marketing oferece um panorama sintético e objetivo das melhores e piores práticas protagonizadas por empresas de todo o mundo.

As duas obras foram escolhidas pelos associados de quatro entidades do setor editorial e livreiro: Câmara Brasileira do Livro (CBL), Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL), Associação Nacional de Livrarias (ANL) e Associação Brasileira de Difusão do Livro (ABDL). Nélida e Madia receberão, cada um, prêmio no valor de R$ 30 mil, o maior da história do Jabuti.

Na mesma noite foram contemplados os ganhadores das 17 categorias do Jabuti, entre os quais Victor Burton (vencedor da categoria Capa, por “Herdando uma Biblioteca”), Dora Ferreira da Silva (vencedora da categoria Poesia, por “Hídrias”), Alcione Araújo (vencedor da categoria Contos e Crônicas por “Urgente é a Vida”), Klester Cavalcanti (vencedor da categoria Reportagem e Biografia, por “Viúvas da Terra”) e Angela Lago (vencedora da categoria Infantil por “Muito Capeta”). Ao todo 71 escritores, capistas, ilustradores, produtores e tradutores de 40 editoras foram premiados. Os vencedores de cada categoria receberam prêmio de R$ 1,5 mil. Cerca de mil pessoas compareceram ao evento.

    Author: Redação

    Share This Post On