História do Brasil – Você sabe quem foi?

 

Delfim Moreira da Costa Ribeiro

 

 

 

Delfim Moreira da Costa Ribeiro

Presidente do Brasil 

Mandato: 15 de novembro de 1918 até

28 de julho de 1919

Vice-Presidente nenhum

Precedido por: Rodrigues Alves

Sucedido por: Epitácio Pessoa

Data de nascimento: 7 de novembro de 1868

Local de nascimento: Cristina (MG)

Data da morte: 1 de julho de 1920

Local da morte: Santa Rita do Sapucaí (MG)

Primeira-dama: Francisca Ribeiro de Abreu

Partido político: PRM

Profissão: advogado

 

Delfim Moreira da Costa Ribeiro (Cristina, 7 de novembro de 1868 — Santa Rita do Sapucaí, 1 de julho de 1920) foi um advogado e político brasileiro. Foi presidente do Brasil entre 15 de novembro de 1918 e 28 de julho de 1919.

 

Estudou no seminário de Mariana e cursou Direito na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, diplomando-se em 1890. Pertencente à geração de republicanos históricos mineiros, foi deputado estadual de 1894 a 1902, sendo nomeado secretário do interior de Minas Gerais. Delfim Moreira também foi presidente da província de Minas Gerais, de 1914 a 1918. Vice na chapa de Rodrigues Alves durante as eleições, assumiu a presidência em virtude do falecimento daquele, vítima da Gripe Espanhola, até que fossem convocadas novas eleições (à época a Constituição previa que o vice-presidente só assumiria provisoriamente, caso o presidente morresse antes da posse).

 

No seu governo, o Brasil se fez representar na Conferência de Paz em Paris, pelo senador Epitácio Pessoa, eleito presidente em 13 de maio, em disputa com Rui Barbosa. Logo após a volta do novo presidente do exterior, Delfim Moreira passou-lhe o cargo, voltando à vice-presidência.

 

Seu curto mandato (que ficou conhecido como regência republicana) foi um período assinalado por vários problemas sociais, especialmente um grande número greves gerais. O presidente, no entanto, tendia a menosprezar essa crise, dizendo que as greves “não passavam de casos de polícia”.

 

Quando morreu ainda ocupava a vice-presidência do governo de Epitácio Pessoa. Francisco Álvaro Bueno de Paiva o substituiu.

 

 

 

 

    Author: Redação

    Share This Post On