Representantes do movimento Fora do Eixo divulgam carta de esclarecimento

Depois das polêmicas sobre a crise na Associação Brasileira de Festivais (Abrafin), que se desdobraram em uma discussão a respeito da atual produção musical pernambucana, os representantes do movimento Fora do Eixo redigiram uma carta de resposta e esclarecimento, enviada a imprensa.

Na carta, “o Fora do Eixo lamenta que as palavras mal colocadas tenham ofendido os pernambucanos e se desculpa publicamente por esse constrangimento, esperando agora retomar o debate em beneficio da música independente no Brasil”. Em outro trecho, eles declaram: “Se ainda não ficou claro, é necessário que fique de uma vez por todas: não há nada de errado com Pernambuco”.

Leia a íntegra da carta do Fora do Eixo:

O Fora do Eixo, rede que conecta mais de 100 coletivos pelo país, tem se caracterizado nos últimos 6 anos por debater aberta e publicamente todas as questões que envolvem as suas atividades. Foram mais de 2000 debates realizados nessa trajetória recente, espalhados por festivais, encontros, fóruns e conferências.

Nessa semana, a rede viu-se envolvida em um debate acalorado acerca da saída de um bloco de festivais da ABRAFIN – Associação Brasileira de Festivais Independentes. A “debandada”, como o episódio vem sendo tratado pelos internautas mais ávidos por visualizações em suas postagens na Internet, gerou uma reação em cadeia e expôs antigas insatisfações de modo mais evidente, inspirando discussões densas sobre o atual contexto da música brasileira.

Não por coincidência, essa efervescência toda vem no rastro do IV Congresso Fora do Eixo, evento que reuniu em São Paulo cerca de dois mil interessados na atual conjuntura da cultura brasileira, e que focou boa parte de suas energias em um extenso Seminário da Música Brasileira, entre os dias 11 e 18 de dezembro de 2011.

No momento mais polêmico do evento, durante a transmissão ao vivo de um programa da pós-TV, uma afirmação de Pablo Capilé (um dos gestores do FdE) apontou que Pernambuco seria a “personificação do rancor” – referindo-se à forma como a cena do estado se relaciona com as movimentações musicais do resto do país.

Tal expressão acabou tomando proporções consideráveis nas redes sociais. E talvez o ponto crucial dessa afirmação tenha ficado de fora das tantas reações manifestadas via Twitter e Facebook.

Vejamos: deveria ser óbvio que a afirmação não se dirige a todos os agentes, artistas e produtores pernambucanos – e mais óbvio ainda que não se trata de resumir um estado inteiro a uma condição negativa. Há códigos nessa fala que deveriam estar bem claros, mas que – reconhecemos – dão margem para leituras mais belicosas. Ainda mais quando se destaca apenas um trecho da longa conversa que transcorreu durante cerca de seis horas. Mas enfim, é o risco que se corre ao assumir a transparência radical para além da metáfora. É o ônus de se escancarar publicamente os processos constitutivos da construção conjunta, ao invés de resguardá-los no conforto dos bastidores.

O Pernambuco que personifica o rancor não é o Pernambuco da infindável riqueza da cultura de raíz, nem dos levantes por autonomia popular, menos ainda o Pernambuco da produção incessante de inquietações estéticas que tem contribuído, e muito, para injetar novas ideias no universo pop brasileiro. Defintivamente, não é aí que o rancor encontra casa.

O Pernambuco rancoroso diagnosticado enquanto tal na fala de um dos gestores do FdE não é senão um grupo determinado e sua visão de mundo: é um recorte – designado de um modo equivocado mas com a intenção de síntese que as tags imprimem ao texto no universo digital – que remete a um certo tipo de conduta que grassa não só nos arredores de Recife, mas de outras diversas capitais brasileiras. Como se a condição de “celeiro” musical justificasse a atitude de soberba de alguns frente a outros que tem tateado soluções de sustentabilidade nesse indefinido limbo entre o modelo de indústria fonográfica do século XX e as perspectivas que se abrem com o fenômeno da cibercultura e das redes colaborativas.

O que de fato gerou uma má impressão sobre um debate que merece ser abordado com a profundidade e a meditação que o tema exige foi a infeliz confusão entre método e ambiente: a escolha da palavra Pernambuco para designar um certo tipo de conduta relativa a um grupo específico foi um equívoco, e reconhecemos isso. E o equívoco abriu um lamentável precedente para intervenções que não tem a mínima intenção de contribuir com a música brasileira, mas sim vê-la incendiar em manchetes apelativas de tabloides on line.

Se ainda não ficou claro, é necessário que fique de uma vez por todas: não há nada de errado com Pernambuco. O que há de errado em Pernambuco e algumas outras cidades brasileiras é que alguns poucos se valem de uma tradição de desbravadores da música independente para reinvindicar um trono que já não encontra lugar nos dias de hoje. A conexão colaborativa entre diversos agentes da cena musical chega a ser vista com desdém por esses, que ao mesmo tempo pouco apresentam de palpável em termos de propostas para o período delicado do mercado cultural.

Prova disso é o modo como alguns personagens do showbusiness pautam temas como remuneração, estrutura e logística de uma forma desvinculada das condições reais do circuito independente. É claro que o artista tem que receber cachê. Assim como é claro que toda a cadeia produtiva tem que receber também: designers, equipe de sonorização, produtores, tour managers etc.

A pergunta é: e enquanto lidamos com a precariedade das condições, qual seria a saída? Estagnar? Desistir? Ou optar pelo estabelecimento de relações mais amplas e participativas que permitam visualizar a troca de serviços como uma alternativa e/ou complemento ao fôlego monetário dos pequenos empreendimentos?

A nossa resposta a essas questões é pragmática, e aberta a sugestões construtivas.

Quanto à crítica recorrente de que o “Fora do Eixo é uma entidade política”, a acusação nos parece rasa.

Explicamos:

Nosso entendimento é que a pauta política não empobrece a música ou a cultura; pelo contrário, a perspectiva de democratização de acesso aos meios de produção é condição básica para que novos artistas produzam, circulem e distribuam seu trabalho – ao mesmo tempo em que a arte deixa de ser um luxo mercadológico para poucos ou um momento de concessão “benevolente” do Estado para tornar-se fator concreto de inclusão econômica, formação profissional e exercício de cidadania.

Acreditamos que, mais do que uma questão de “iluminação”, a arte é condicionada pelos meios de existência social.

Música boa pode florescer em qualquer lugar do Brasil e do mundo; mas para isso é necessário que as pessoas tenham acesso a cultura, à novos referenciais estéticos, e, principalmente, sintam-se capazes de protagonizar a cultura brasileira, que com certeza não nasce apenas dos meios consagrados. A música – e a cultura em geral – é rica no Mato Grosso, no Rio Grande do Sul, no Amazonas e em Pernambuco, assim como em todas as regiões do país.

A cultura popular do Brasil desautoriza qualquer recorte arbitrário que desconsidere as múltiplas fontes que abastecem nosso imaginário. Sendo assim, o Fora do Eixo não poderia pactuar com nenhuma prática ou ideário político que prega a elitização da cultura, o estabelecimento de barreiras restritivas ou a sacralização da arte.

Música? É paixão, parte vital do que nos move. Mas por crermos na sua potência emancipatória, não faremos jamais eco aos que propõem a concentração dos recursos de produção ao invés de sua distribuição igualitária.

Nossa época é a das redes. Para o bem ou para o mal, é a complexidade das conexões que dita o ritmo, a forma e o conteúdo do convívio social hoje. Não estar sensível a isso implica em posturas não raro herméticas, anacrônicas, eventualmente antipáticas a práticas coletivizantes.

Cremos que nesse exato momento estamos presenciando um processo de transição: de um lado, um projeto de escala mais reduzida, que acredita na sua importância enquanto filtro para a música independente no país; de outro, uma série de iniciativas que assumem a precariedade e a incerteza não como limitadores, mas como elementos de um ambiente propício para a criatividade, a inovação e o compartilhamento de tecnologias sociais.

Não são outros os motivos senão essa compreensão que levaram a saída de alguns festivais da Associação Brasileira de Festivais Independentes (ABRAFIN) há uns dias atrás. A oposição entre duas formas de conceber a função dos ambientes associativos e seu papel junto às pequenas iniciativas culturais atingiu seu limite, e ambas as partes parecem entender que a alternativa mais produtiva é a construção de caminhos distintos para a evolução da cena musical brasileira.

No mais, acreditamos que as soluções para a música do Brasil não obedecem uma única lógica, nem um modelo exclusivo a ser aplicado de forma homegênea. É a diversidade das formas possíveis de criação e sustentabilidade que acenam para o futuro da música brasileira, do norte ao sul do país.

De toda forma, mesmo considerando todas as variáveis que existem nesse episódio, O Fora do Eixo lamenta que as palavras mal colocadas tenham ofendido os pernambucanos e se desculpa publicamente por esse constrangimento, esperando agora retomar o debate em beneficio da música independente no Brasil.

Movimento Fora do Eixo

    Author: Redação

    Share This Post On

    1 comentário

    1. 4SDl6E I am so grateful for your article post.Much thanks again. Want more.

    Trackbacks/Pingbacks

    1. pozycjonowanie lublin - Title... [...]the time to study or stop by the content material or web sites we have linked to below the[...]...
    2. deweloper szczecinIdeveloper szczecinInowe mieszkania szczecinImieszkania szczecin deweloperIszczecin deweloperIdeweloperzy szczecinImieszkania deweloper szczecinImieszkanie szczecinImieszkania na sprzedaz szczecinIdomy szczecinIszczecin mieszkaniaItanie - Title... [...]that will be the finish of this article. Here you’ll come across some web pages that we feel you will …
    3. where to buy electronic cigarettes - Title... [...]below you will obtain the link to some sites that we consider you ought to visit[...]...
    4. redundant - Title... [...]although internet sites we backlink to beneath are considerably not connected to ours, we feel they are in fact really …
    5. skup samochodow krakow - Title... [...]very few web-sites that take place to become comprehensive beneath, from our point of view are undoubtedly well worth checking …
    6. Bydgoszcz - Title... [...]below you will uncover the link to some internet sites that we consider it is best to visit[...]...
    7. Viagra - Title... [...]usually posts some quite intriguing stuff like this. If you are new to this site[...]...
    8. Ezra Temores - Title... [...]please check out the internet sites we adhere to, like this one particular, as it represents our picks from the …
    9. Shin Ohtake - Title... [...]that would be the finish of this article. Right here you’ll locate some web-sites that we consider you will appreciate, …
    10. Miami Dating sites - Title... [...]we like to honor numerous other internet web pages around the net, even though they aren’t linked to us, by …
    11. business loans - Title... [...]please pay a visit to the sites we adhere to, such as this 1, as it represents our picks through …
    12. sex offender map - Title... [...]very couple of internet websites that occur to be in depth beneath, from our point of view are undoubtedly nicely …
    13. full offer - Title... [...]Sites of interest we've a link to[...]...
    14. fabescorts.com - Title... [...]Wonderful story, reckoned we could combine several unrelated data, nevertheless definitely worth taking a look, whoa did a single study …
    15. funeral programs - Title... [...]check beneath, are some entirely unrelated internet websites to ours, nevertheless, they are most trustworthy sources that we use[...]...
    16. viagra - Title... [...]we came across a cool site that you could possibly appreciate. Take a appear for those who want[...]...
    17. visite - Title... [...]please take a look at the web-sites we stick to, including this one, because it represents our picks in the …
    18. Home Page - Title... [...]that may be the finish of this report. Here you’ll come across some sites that we assume you will enjoy, …
    19. Star Trek Costume - Title... [...]one of our visitors just lately recommended the following website[...]...
    20. buy YouTube views - Title... [...]just beneath, are numerous completely not connected web-sites to ours, however, they are surely worth going over[...]...
    21. buy bawu - Title... [...]just beneath, are various completely not associated web-sites to ours, nevertheless, they are surely really worth going over[...]...
    22. best wordpress portfolio themes - Title... [...]Wonderful story, reckoned we could combine some unrelated information, nevertheless seriously worth taking a search, whoa did one understand about …
    23. zhongruan for sale - Title... [...]Here are several of the web-sites we advocate for our visitors[...]...
    24. create my own website - Title... [...]here are some links to internet sites that we link to for the reason that we feel they are worth …
    25. money making cashcow 2013 - Title... [...]one of our visitors lately recommended the following website[...]...
    26. pasang iklan baris gratis tanpa daftar - Title... [...]we like to honor quite a few other world-wide-web sites on the internet, even when they aren’t linked to us, …
    27. Peru tours - Title... [...]here are some links to sites that we link to mainly because we think they are really worth visiting[...]...
    28. maid service utah county - Title... [...]Sites of interest we've a link to[...]...
    29. Get GooglePlus Followers - Title... [...]usually posts some very interesting stuff like this. If you’re new to this site[...]...
    30. www.gwiazdor.pl - Title... [...]Every when in a whilst we choose blogs that we read. Listed below would be the most current web sites …
    31. Roland Guadeloupe - Title... [...]we came across a cool internet site that you just may appreciate. Take a look in case you want[...]...
    32. Jason Youmans - Title... [...]check beneath, are some completely unrelated web sites to ours, even so, they are most trustworthy sources that we use[...]...
    33. Getting pregnant after 40 - Title... [...]although internet sites we backlink to below are considerably not associated to ours, we feel they may be actually really …
    34. Social Media Marketing Company - Title... [...]we like to honor a lot of other online web-sites around the net, even though they aren’t linked to us, …
    35. sushi catering boston - Title... [...]the time to study or go to the content or internet sites we have linked to beneath the[...]...
    36. Goone One - Title... [...]the time to study or pay a visit to the material or websites we've linked to below the[...]...
    37. making money on the internet - Title... [...]that could be the end of this post. Here you’ll come across some web pages that we feel you’ll value, …
    38. stern kaufen - Title... [...]one of our visitors not long ago encouraged the following website[...]...

    Enviar um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *