Agosto – “Conferencia de Cultura”.

Todo o dia entra mês sai mês e o Portal Brasil Cultura desenvolve como tema principal em suas paginas a questão de políticas culturais. Democracia Cultural. Entramos no mês de agosto ouvindo falar muito sobre “conferencia de cultura”. Sabemos que uma política cultural deve a ação do poder público que se baseia em operações, princípios, procedimentos administrativos e orçamentários. Esta política serve para melhorar a qualidade de vida dos cidadãos através de atividades culturais, artísticas, sociais e recreativas. É para isso que lutamos e informamos neste maior portal da cultura brasileira. E ela deve ter um objetivo amplo pelo fato de ser uma ação voltada para toda a cidade, estados e o Brasil e não apenas para alguns estratos sociais. O que se
percebe é que esta ação do governo quase sempre está direcionada a conservação do patrimônio cultural, e, oferecer atividades de artistas culturais consagrados, ou seja, ao proporcionar a população o acesso aos bens culturais, tenta a democratização da cultura. Para isso, teoricamente, são promovidas atividades que valorizam os produtos da “elite cultural”. Assim o
mercado de consumo de bens e serviços culturais: os teatros, salas de exposições, bibliotecas e auditórios se desenvolvem e os grupos que produzem cultura encontram apoio. A preocupação deste tipo de ação é fazer com que a cultura esteja ao alcance de todos, o que pode ser conseguido com a realização de shows públicos, ingressos a preços mais baratos, espetáculos teatrais abertos ao público, facilidade de acesso aos eventos culturais. Não nego a importância
desta forma, porem, uma ação cultural desse tipo ainda é apenas o começo para chegar à democracia cultural, o que significa possibilitar a população a participar da vida cultural do seu bairro, município, da sua cidade apropriando-se de instrumentos e meios necessários para desenvolver suas próprias práticas culturais, e assim fazer com que o cidadão crie autonomia para procurar e escolher seus programas. Penso que a forma objetiva para atingir esta meta
seria a promoção de atividades culturais onde o público seja participante ativo, dinamizando a cultura local a partir de suas referências, sem desconsiderar a arte erudita. O mais importante deixa de ser o acesso aos bens culturais e passa a ser a participação na criação e nos processos culturais.

Cláudio Ribeiro

Jornalista – Compositor

    Author: Redação

    Share This Post On

    Enviar um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *