SEIS ESPETÁCULOS “FRINGE” NA CAIXA CULTURAL CURITIBA

A CAIXA Cultural apresenta, de 29 de março a 08 de abril, a Mostra Novos Repertórios, parte da programação do Fringe, do Festival de Teatro de Curitiba. A mostra paralela surgiu inspirada em uma mostra escocesa, de 1974, do Festival Internacional de Edimburgo, denominada Fringe. A palavra inglesa significa margem e empresta seu sentido literal à mostra: é o Fringe que possibilita a abertura democrática do Festival às companhias e peças sem curadoria, esboçando um panorama completo do teatro brasileiro.

Mostra Novos Repertórios

:

A quinta edição da mostra Novos Repertórios ocupa o teatro da CAIXA Cultural, no período do Festival de Curitiba. O objetivo é exibir o quadro contemporâneo das produções curitibanas, de grupos comprometidos com pesquisa e montagem de novas dramaturgias.

A expressão “novos repertórios” carrega uma pitada de ironia. Pois, por um lado, há a associação com a idéia do teatro de repertório e, por outro, há a palavra “novo”, que coloca tudo em uma dimensão um tanto instável. De certa forma, é preciso deixar de ser “novo” para tornar-se parte de um repertório. Cada ano, a mostra oferece novos grupos, novos autores, novos atores e novos encenadores. Textos escritos por um único autor convivem com dramaturgias colaborativas, com reconstruções e desconstruções. Dramaturgos de além mar convivem com dramaturgos de corpo presente.

A mostra é uma insistente tentativa de criar novos paradigmas de escolha. E isso se faz por uma via negativa: buscando outro sentido de unidade dentro da diversidade, evitando a certeza e abrindo espaço para a surpresa.

Programação:

 

 

 

Sinopses:

 

 

SOPHIA LOREN NÃO É MARLON BRANDO – Companhia Subjétil

 

Direção: Darlei Fernandes

 

 

A partir do conceito de gadgets da psicanálise, a Cia Subjétil, aborda na cena as questões de beleza e perfeição. Mesclando dança e teatro, a peça traz ao público o aprofundamento da pesquisa da companhia em dramaturgia espacial e no gesto. Tomando emprestados os nomes de dois ícones do cinema mundial, os atuantes apresentam ao público seus sonhos e devaneios pela fama, contrapondo os com as suas vidas reais.

 

 

DARWIN – Processo Multiartes

 

Direção: Fábio Salvatti

 

 

O espetáculo Darwin é composto por quadros motivados por fontes diversas, do próprio cientista a Shakespeare, Homero e Paulo Leminski, além de recortes de jornais, canções populares, depoimentos pessoais, em um resultado que transcende um gênero dramático específico

 

 

A CIDADE – Inominável Companhia de Teatro

 

Direção: Márcio Mattana

 

 

Sob a superfície dos pequenos dramas de uma tradutora, um marido, uma filha e uma vizinha, a peça cria um enigmático jogo em que os piores pesadelos da vida cotidiana são sutilmente sugeridos, mas jamais chegam a ser completamente revelados. Lançada em 2008, “A Cidade” é a obra mais recente de Martin Crimp, um dos mais brilhantes dramaturgos britânicos da atualidade, o mesmo autor de obras primas comoAtentados e Menos Emergências.

 

ILÍADA – CANTO I – Ilíadahomero

 

Direção: Octavio Camargo

 

A Ilíada é um dos textos mais antigos do mundo e Homero o primeiro poeta da literatura ocidental. O monólogo de Claudete Pereira Jorge encenará o texto integral do Canto I da Ilíada, na tradução de Manuel Odorico Mendes.

 

 

VACA PRÓDIGA – Teatro de Breque

 

Direção: Nina Rosa Sá

 

 

A Vaca Pródiga é a mais nova parceria entre a companhia e o dramaturgo norte americano Mark Harvey Levine. O texto é curto e sugere uma brincadeira com a parábola do Filho Pródigo, a partir do ponto de vista de uma vaca. O animal será sacrificado para ser oferecido de jantar na festa de retorno do filho. A montagem busca expandir alguns dos signos e contextos explícitos na obra, interagindo de modo a criar um diálogo criativo com a obra do norte americano.

 

 

SALIVA – Dezoito zero um Cia de Teatro

 

Direção: Alexandre França

 

 

Um homem atira em sua própria cabeça. Do furo da bala, nasce uma outra boca. E desta boca, uma outra cabeça. A nova peça da Dezoito Zero Um – Cia de Teatro trata da construção de novos universos linguísticos de significação do ser humano. Um homem tenta reconstituir o seu passado ao reconstruir a sua fala. A arquitetura de frases e expressões acompanha este processo de evolução que se dá em espirais e o espectador se depara com uma nova concepção de sujeito. Não mais o homem íntegro, binário e dicotômico, mas sim um sujeito constituído de vários sujeitos, múltiplo.

 

 

 

 

Serviço:

 

Teatro: Fringe – Mostra Novos Repertórios

 

Local: CAIXA Cultural – Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba (PR)

 

Data: de 29 de março a 08 de abril de 2012

 

Horário: verificar a programação

 

Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia – conforme legislação e conforme regras do Festival) Nas bilheterias do Festival

 

Bilheteria: (41) 2118-5111 A bilheteria da CAIXA abrirá 01(uma) hora antes de cada espetáculo, mas estará sujeita a disponibilidade de ingressos pelo Festival.

 

Classificação etária: Livre para todos os públicos, exceto “Darwin” cuja indicação é para maiores de 14 anos

 

Lotação máxima: 125 lugares (02 para cadeirantes)

 

Programação completa: no sítio

www.caixa.gov.br/caixacultural 

 

20/03/2012

 

Assessoria de Imprensa da CAIXA Cultural Curitiba (PR)

 

(41) 3544-5641

 

www.caixa.gov.br/imprensa | @imprensaCAIXA 

 

www.caixa.gov.br/caixacultural

Author: Redação

Share This Post On

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *