Rodeios e Vaquejadas

 

São provas que mostram a habilidade dos peões e vaqueiros na lida com cavalos e gado.

Os rodeios têm estilo americano. Tornam-se cada vez mais populares nos últimos anos, em especial no interior paulista. Têm origem nas viagens de boiadeiros, as comitivas, levando gado para corte ou para invernada. A maior e mais antiga festa de peão de boiadeiro acontece em Barretos (SP), há quarenta anos. Começa com a “queima do alho”, numa referência às paradas para refeição das tropas, e segue com apresentações de grupos folclóricos e provas eqüestres.

Na vaquejada, os participantes competem em duplas para apartar e marcar o gado. A cada rês dominada, o público comemora, com gritos e foguetes. As vaquejadas acontecem sobretudo no Nordeste. A mais famosa é a de Orós (CE).

Referências bibliográficas

  • BOSI, Eclea. Cultura de massa e cultura popular: leituras de operárias. 2.ed. Petrópolis: Vozes, 1973.
  • BRANDÃO, Carlos Rodrigues. A cultura na rua. Campinas: Papirus, 1989.
  • AYALA, Marcos; AYALA, Maria Ignez Novais. Cultura popular no Brasil: perspectiva de análise. São Paulo: Ática, 1987.
  • DUMAZEDIER, Joffre. Lazer e cultura popular. São Paulo: Perspectiva, 1973.
  • CHAUÍ, Marilena de Souza. Conformismo e resistência: aspectos da cultura popular no Brasil. 4.ed. São Paulo: Brasiliense, 1989.
  • BORELLI, Silvia Helena Simões. Gêneros ficcionais, produção e cotidiano: na cultura popular de massa. São Paulo: INTERCOM, 1994

    Author: Redação

    Share This Post On