Preparando um bom cupim

CUPIM
O cupim é uma carne extremamente saborosa e macia, mas a diferença entre um bom cupim e um cupim cagado (gostei do trocadilho, junta com a fraldinha e.. xapralá) é muito tênue. É uma carne demorada de preparar e muito fácil de errar. Portanto, se você for convidado a algum churrasco e tiver cupim, tenha certeza de que o churrasqueiro sabe o que tá fazendo.
Já expliquei que o cupim fica em cima das costas do boi, o Nelore, e é cheia de gordura, certo? Na verdade, uma das mais gordurosas do boi. Pois é, mas o cupim não é como a picanha, por exemplo, que tem a gordura bem definida sobre a peça. A gordura do cupim fica entrenhada no meio da carne, junto com uns nervinhos, e se você vacilar, fica tudo uma pedra. Portanto, a palavra que me vem à cabeça é: paciência. O cupim é o primeiro que vai à churrasqueira e o último que sai. Ou seja, se você faz o tipo ansioso, ou tem hiperatividade, tome um chá de passiflora antes de começar o churrasco.
Pra assar um cupim, você precisa de uma churraca responsa, daquelas de vários andares. Isso porque você tem que preparar a peça em duas etapas, e ambas precisam de uma certa distância do fogo.
O primeiro passo é espetar o cupim, e enrolar naqueles celofanes de churrasco. Não sabe o que é isso? Gooooogle, parceiro. Só não mete um celofane qualquer, você não tá encapando um caderno, tá preparando uma carne e é melhor que tenha um mínimo de noção nessa cabeça. Recomendo utilizar um espeto único, como o das fotos abaixo e não daqueles duplos.
Quando você enrola a peça de carne no celofane, é por um bom motivo, então não o faça com preguiça nem de qualquer jeito. A carne vai aquecer, a gordura do meio da carne vai derreter, e vai ficar presa no celofane. Vai aquecer junto da carne e vai ajudar a cozinhá-la. Ou seja, você vai cozinhar a carne na própria gordura dela. Sacou o espírito da coisa? Então segue os passos aí:
Taí uma peça de cupim. Na verdade, aí tem meia peça. A outra meia eu congelei.
Depois de espetada a peça, abra um bom pedaço de celofane sobre uma mesa, jogue um pouco de sal e enrole, sem deixar muita folga.
Uma vez enrolado, arrume um pedacinho de celofane ou qualquer outra coisa pra amarrar as extremidades.
Não se esqueça de que a gordura tem que ficar aí dentro, cozinhando a carne.
Não ficou lindo? Parece uma balinha 7Belo!

Agora bote o espeto no andar mais alto da churraca e deixa lá. Vai ficar ali umas 3 horas. A cada nova cerveja que você abrir, vire a carne com todo o cuidado pra não deixar o líquido escorrer. Você vai adorar quando a gordurinha começar a fazer borbulhinhas dentro do pacote. É o sinal que as coisas vão indo bem.

Não tenha pressa. Sirva toda a linguiça e contra-filé para os convidados mais afoitos, e deixe essa maravilha da natureza ficar boa por sí só. O segredo do cupim (nome de filme da tela quente, com Keanu Reeves) é justamente esse cozimento. Portanto, não tire ele daí. Não deixe esfriar. Não deixe o fogo apagar. Não economize carvão. Não deixe ele mais baixo, perto da grelha, achando que vai ficar pronto mais rápido. Não fure o celofane. Enfim, não seja besta que a carne fica boa sozinha.
Depois que se passarem pelo menos 3 horas, e dentro do celofane estiver um furdúncio já há algum tempo, é hora de abrir. Chame os bombeiros que essa parte é cruel.
Você não tem outro jeito: precisa abrir a embalagem com aquele caldo gosmento dentro. Quando fizer isso, vai cair aquela gordura toda na churraca. Se você tiver uma pia por perto, leve a peça até a pia, faça um rasguinho com a faca e abra a porra toda. Se não tiver, vai ter que ser na marra mesmo. Nesse caso, certifique-se de que não tem nenhuma outra carne nos andares de baixo do cupim. Vai cair uma avalanche de gordura e vai lavar a carne em questão, fica uma merda. Se você aguentar o calor, recomendo posicionar uma latinha de cerveja (VAZIA, HEIN) embaixo pra tentar recolher o máximo possível do caldo que vai cair. Depois você dá a latinha pro cara das batidas beber e tudo ok.
Agora você pode descer o cupim “pelado” pro andar de baixo, mas ainda a uma distância média do fogo. Tire uma lasquinha e veja se há a necessidade de sal. Se sim, pode espalhar um pouco na peça. Não preciso te falar quanto, qualquer um que já temperou uma salada sabe quanto sal colocar na comida, vá.
A melhor maneira de servir o cupim, é ir virando ele, e à medida que vira, você vai tirando as lasquinhas que ficaram mais queimadinhas. Este processo se chama “casqueirar”, ou seja, você vai casqueirando a carne. Se você não errou nada nesse processo todo, fica de comer falando palavrões. Eu mesmo já soltei vários puta-que-paris pra essa carne.
Da primeira vez, recomendo fazer sozinho ou num churrasco com menos gente. Você não vai querer errar numa festa pra 30 pessoas, vai?
 uma peça de 3kg. Mega barato.
Rendimento: não tenha como a única carne no churrasco. Imaginando que fica pronta no final, alimenta uns 6 ou 7 caboclos.
Tempo de preparo: umas 8 latinhas. Adoro essa parte!

    Author: Claudio Ribeiro

    Share This Post On

    Enviar um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *