Portugal Criativo 2011

portoMinC apresenta, durante evento em Porto, a proposta da nova Secretaria de Economia Criativa. Cláudia Leitão, secretária da Identidade e Diversidade Cultural (SID/MinC), e futura titutar da Secretaria de Economia Criativa que está sendo criada dentro da nova estrutura do Ministério do Cultura, participou na última sexta-feira (16), na cidade de Porto, do Portugal Criativo 2011. Na ocasião, ela  apresentou as propostas de trabalho que envolvem a criação da nova secretaria do MinC e falou sobre as últimas tendências do setor das indústrias criativas, para uma plateia, de cerca de mil pessoas, formada por agentes criativos, empreendedores e estudantes de vários países que partiparam do evento realizado, de 16 a 18 de junho, na cidade portuguesa.

 

O Portugal Criativo 2011 é coordenado pela Agência para o Desenvolvimento das Indústrias Criativas (ADDICT) em parceria com a Fundação da Juventude e tem como objetivo debater, mostrar e celebrar as últimas tendências do setor das indústrias criativas.A iniciativa tem a missão de refletir, manifestar a criatividade e lançar o desafio de desenvolver e apostar na qualidade e diferenciação dos agentes criativos e do setor em que trabalham.

 

“Portugal Criativo é uma iniciativa muito interessante que demonstra uma compreensão, principalmente do Norte de Portugal, da dimensão estratégica dessa nova economia que é a economia criativa, tanto para os países europeus quanto para os demais continentes. Me impressionou esse evento de 2011, cuja a temática era as ferramentas de negócios para as indústrias criativas a capacidade de reunir em mesas perfis profissionais diferenciados – setor público, privado, universidades – para pensar em desenvolvimento”, cometou Leitão sobre o evento.

 

Segundo ela, “eles estão trabalhando com incubadoras, apoiando os profissionais criativos, e em busca de novos negócios, parcerias internacionais, de abrir campos de mercados para esses profissionais que estão começando”. Para Leitão, o diálogo com o governo português está mais articulado. “Eu penso que nesse sentido eles estão um passo à frente do Brasil, pois nós ainda precisamos construir esse discurso da economia criativa para governadores e prefeitos, para a formulação de políticas públicas”, acrescentou.

 

Ainda de acordo com ela, os portugueses ficaram curiosos quando souberam da criação da Secretaria de Economia Criativa por parte do MinC. “Apresentei no evento a proposta de funcionamento da SEC e a implantação das políticas necessárias para o fortalecimento dessa economia no país. Foi um compartilhamento de informações”, afirmou.

 

(Texto: Heli Espíndola, Ascom/MinC)

Author: Redação

Share This Post On

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *