Ouça “História Hoje” 21/12: Há 36 anos, morria o jornalista e dramaturgo Nelson Rodrigues

nelson_rodrigues-bc

Há 36 anos, morria no Rio de Janeiro o jornalista e dramaturgo Nelson Falcão Rodrigues.

Autor polêmico, revolucionou o teatro brasileiro, com peças de grande sucesso como Vestido de Noiva, Boca de Ouro, A Falecida, Bonitinha, mas Ordinária, Beijo no Asfalto e Toda Nudez será castigada.

Patrícia Leite

ANTES DE OUVIR O ÁUDIO DESLIGUE O SOM DA RÁDIO BRASIL CULTURA NO TOPO DA PAGINA

Pernambucano, de Recife, Nelson Rodrigues, tinha cinco anos de idade quando se mudou com a família para o Rio de Janeiro, onde o pai fundou o Jornal A Manhã. Aos treze anos, começou a trabalhar como repórter policial.

 

Em 1936, aos vinte e quatro anos, se transferiu para o Jornal dos Sports, de propriedade de seu irmão, Mário Filho e começou a escrever sobre futebol. Sua coluna fez grande sucesso e ele passou a colaborar também com o Correio da Manhã, O Jornal, Jornal do Brasil, Última hora e Manchete Esportiva.

 

Sua primeira peça teatral, Mulher sem pecado, foi escrita em 1942 e encenada no Teatro Carlos Gomes, no Rio de Janeiro. No ano seguinte, a segunda peça, Vestido de Noiva, entrava em cartaz no Teatro Municipal seguida de Meu Destino é Pecar, Escravas do Amor e Álbum de Família.

 

Em 1951 publicou no Jornal Última Hora uma série de crônicas denominada A Vida Como Ela É.

 

Em 1960, a peça “Boca de Ouro”, abordando o universo da reportagem policial, chega aos palcos, no Teatro Cacilda Becker. No ano seguinte, é encenado “O Beijo no Asfalto”, com grande elenco, que ficou sete meses em cartaz no Teatro Ginástico.

 

Em 1963 estreou Bonitinha Mais Ordinária, e em 65 escreveu Toda Nudez será castigada que, levada ao cinema, recebe o Urso de Prata no Festival de Berlim.

 

Desde o início, Nelson Rodrigues foi considerado um imoral, porém moralista, um gênio que escandalizava o público e a imprensa especializada, diante de seus textos que giravam em torno de adultérios, pecados e escândalos.

 

Nelson Falcão Rodrigues morreu no dia 21 de dezembro de 1980, no Rio de Janeiro, após dez dias internado. Seu corpo foi sepultado no Cemitério São João Batista.

 

História Hoje: Programete sobre fatos históricos relacionados às datas do calendário. Vai ao ar pela Rádio Brasil Cultura de segunda a sexta-feira.

 

    Author: Claudio Ribeiro

    Share This Post On

    Enviar um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *