Ouça “História Hoje” 19/05: Há 88 anos, nascia Johnny Alf, um dos precursores da bossa nova

Johnny Alf

Alfredo José da Silva ou simplesmente Johnny Alf, nasceu no Rio de Janeiro, no dia 19 de maio de 1929. Ele foi professor, compositor, pianista e cantor. Suas obras influenciaram toda uma geração de músicos.

Apresentação Carmen Lúcia

ANTES DE OUVIR O ÁUDIO DESLIGUE O SOM DA RÁDIO BRASIL CULTURA NO TOPO DA PAGINA

 

Mas não dá para falar de Alf sem falar de bossa nova.  Certamente, os amantes e os estudiosos desse movimento da MPB – lançado, no final da década de 1950, por João Gilberto, Tom Jobim, Vinícius de Moraes e outros tantos jovens cantores e compositores, sabem de quem estou falando.

 

Tom Jobim considerava Johnny Alf um gênio e o admirava tanto que o apelidou de Genialf. Não por acaso Jobim tinha tamanho apreço e admiração pelo trabalho do amigo.

 

Suas músicas e sua voz rouca embalaram romances e foram a trilha sonora escolhida para dar início a muitas histórias de amor.  A vida difícil e triste, de alguma forma, aparece nas suas composições.

 

Johnny Alf perdeu o pai muito cedo, aos três anos. Por essa razão, sua mãe foi trabalhar de empregada doméstica. Johnny tinha apenas 9 anos quando Geni Borges – amiga da família para quem a mãe trabalhava –,  o iniciou nos estudos de piano. Mas apesar de gostar da música clássica, Johnny logo tomou-se de amores pela música popular.

 

A carreira profissional começou em 1952, quando Dick Farney e Nora Ney o contrataram como pianista da nova cantina do radialista César de Alencar. Depois, Johnny Alf passou a tocar em boates.

 

Duas canções se destacaram neste período: Céu e mar e Rapaz de bem. As duas músicas foram consideradas revolucionárias, realmente as precursoras da Bossa Nova. A melodia e a harmonia dessas duas canções foram, de fato, a base para chegada definitiva da Bossa.

 

Durante três anos, Alf  lutou contra um câncer. No fim da vida ele se apresentava em raras exceções. Uma delas foi, em 2008, na Oca, na abertura das exposições dedicadas aos 50 anos da bossa nova. Sem parentes, nos últimos anos viveu em um asilo em Santo André,  onde morreu, aos 80 anos.

 

Johnny Alf foi o clássico caso dos grandes artistas que não alcançaram em vida o devido reconhecimento.

 

 

História Hoje: Programete sobre fatos históricos relacionados às datas do calendário. Vai ao ar pela Rádio Brasil Cultura de segunda a sexta-feira

 

 

    Author: Brasil Cultura

    Share This Post On

    Enviar um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *