Ouça “História Hoje” 03/08: Saiba como foi a carreira do sambista Carlos Cachaça

carlos-cachaca

Carlos Moreira de Castro, conhecido como Carlos Cachaça, foi um dos maiores nomes do samba e um dos fundadores da Estação Primeira de Mangueira. Ele nasceu no dia 03 de agosto de 1902.

Apresentação Carmen Lúcia

ANTES DE OUVIR O ÁUDIO DESLIGUE O SOM DA RÁDIO BRASIL CULTURA NO TOPO DA PAGINA

 

Carlos Cachaça

Carlos Moreira de Castro

*3/8/1902 Rio de Janeiro, RJ

*16/8/1999 Rio de Janeiro, RJ

Filho de funcionário da Estrada de Ferro Central do Brasil, nasceu no morro da Mangueira, em uma das casas que a companhia alugava para seus funcionários. Seu pai, Carlos, abandonou a família. D. Inês, sua mãe, vendo-se em dificuldade para criar seus seis filhos menores, o entregou ao padrinho, o português Tomás Martins, dono de vários barracos no morro da Mangueira. Logo, o menino passou a  fazer cobranças, lidar com recibos e anotações dos aluguéis, substituindo o padrinho analfabeto.

Aos16 anos, atuava como pandeirista no conjunto de Mano Elói (Elói  Antero Dias).

O pseudônimo “Cachaça” surgiu em uma das reuniões na casa do tenente Couto (do Corpo de Bombeiro), na qual estavam presentes três Carlos. Para diferenciá-lo, o anfitrião sugeriu “Cachaça”, bebida preferida do compositor, na época com 17 anos.

Em 1922, conheceu Cartola, com quem mais tarde comporia diversos clássicos.

Fundou, em 1925, juntamente com Cartola, Marcelino José Claudino, Francisco Ribeiro e Saturnino Gonçalves, o Bloco dos Arengueiros, que mais tarde deu origem à Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira, da qual também foi um dos fundadores, participando de todas as reuniões preliminares sem, contudo, comparecer à reunião de fundação por estar de serviço.

No ano de 1926, entrou para Estrada de Ferro Central do Brasil, galgando vários cargos, permanecendo até o ano de 1965, quando se aposentou como oficial de administração. Com sua primeira mulher, Maria Aída da Silva, teve três filhos: Luco, José Carlos e Marinês.

Casou-se com Menininha (Clotilde da Silva, falecida em 1983), irmã de Dona Zica, com a qual viveu durante 45 anos.

Foi presidente de honra da Mangueira e da Academia Brasileira da Cachaça, da qual constam apenas 40 membros acadêmicos.

Em 1998, antes de falecer, fez seu último desfile pela Mangueira. Já debilitado em uma cadeira de rodas, presenciou a escola sagrar-se campeã com o enredo “Chico Buarque da Mangueira”, desfilando ao lado do homenageado, que o beijou repetidas vezes.

Co-autor do livro “Fala, Mangueira”, com Marília T. Barboza da Silva e Arthur L. Oliveira Filho em 1980, lançado pela Editora José Olympio. Autor de “Alvorada”, livro de poemas e letras, publicado pela Funarte em 1989, organizado por Marília Trindade Barboza.

SAIBA MAIS 

 

itaipu log

 

História Hoje: Programete sobre fatos históricos relacionados às datas do calendário. Vai ao ar pela Rádio Brasil Cultura de segunda a sexta-feira.

    Author: Braisil Cultura

    Share This Post On

    Enviar um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *