Obra do Paço do Frevo vai se tornar realidade

Paço do FrevoDois anos e oito meses após o anúncio, a Prefeitura do Recife formaliza a parceria que vai permitir a criação do Paço do Frevo. O centro cultural, destinado à difusão do famoso ritmo pernambucano, será instalado no casarão desocupado da antiga empresa de telégrafos Western Telegraph Company Limited, na Praça do Arsenal da Marinha, Bairro do Recife. O evento está marcado para as 9h desta segunda-feira, ao lado do imóvel que abrigará o Paço.

Com os convênios, a prefeitura poderá restaurar o prédio, que tem quase dois mil metros quadrados de área construída, distribuídos em quatro pavimentos. O casarão foi desapropriado pelo município em 9 de fevereiro de 2007, dia do centenário do Frevo, para abrigar biblioteca, salas para exposição, pesquisa e aula (onde profissionais de música e dança poderão desenvolver atividades), auditório, café e loja para comercialização de produtos. Tudo, é claro, ligado ao frevo.

O imóvel chama a atenção pela quantidade de janelas. Na fachada da Rua da Guia há 27 janelas nos três pavimentos superiores e mais nove inutilizadas no andar térreo. Na parede voltada para a Rua Domingos José Martins há 24 janelas nos três pisos superiores e oito fechadas no térreo. A fachada principal, na Praça do Arsenal, tem 15 janelas ordenadas de cinco em cinco nos 1º, 2º e 3º pavimentos e mais quatro inutilizadas no térreo.

Patrocinado pela Fundação Roberto Marinho, o projeto é uma iniciativa da Prefeitura do Recife. O investimento na restauração do prédio e na aquisição de equipamentos e acervo para o Paço do Frevo é de R$ 8,7 milhões. De acordo com o secretário de Cultura da cidade, Renato L, a prefeitura contribuirá com R$ 1,5 milhão desse valor. O governo do Estado também participará com R$ 1,5 milhão.

“Conseguimos os R$ 5,7 milhões restantes pela Lei Federal de Incentivo à Cultura. São R$ 3 milhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), R$ 870 mil do Grupo Camargo Corrêa e R$ 750 mil da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe)”, informa Renato L.

O projeto tem apoio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e do Ministério da Cultura, que autorizou a captação de verba por meio da Lei de Incentivo à Cultura. Pelo contrato, que será assinado segunda-feira, a obra deverá ser executada num prazo de 24 meses. Depois de pronto, o Paço do Frevo ficará ligado à Secretaria de Cultura do Recife. Caberá à Fundação Roberto Marinho ações de mobilização para inserir o equipamento na comunidade.

    Author: Redação

    Share This Post On